Em 2 dias, facção perde R$ 68 milhões

Desfalques do Comando Vermelho ocorreram com apreensão de drogas e armas; traficantes devem ir para outras favelas da zona norte

Gabriela Moreira, Alfredo Junqueira / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2010 | 00h00

     

 

 

 

 

A tomada do Complexo do Alemão pela polícia não significa somente a perda do território mais importante para o Comando Vermelho, mais antiga facção criminosa do Rio. Só nos dois últimos dias de operação, a quadrilha chefiada por Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, teve um prejuízo aproximado de R$ 68 milhões, apenas com a apreensão de drogas e armas.

A polícia ainda não sabe onde os chefes da quadrilha que estão soltos vão se restabelecer, mas a aposta é que tentem conquistar alguma favela que compense a perda com a venda de drogas. "A única em que o movimento se assemelha ao do Alemão é a Rocinha, que pertence a uma facção rival do CV, a Amigos dos Amigos (ADA)", disse um oficial da Inteligência da PM.

Segundo este oficial, até que consigam se reabastecer de armas e munição, os principais chefes do tráfico no local devem se refugiar em outras favelas dominadas pelo CV. Entre as mais importantes estão o Complexo de Manguinhos e a Mangueira, ambas na zona norte. "Eles vão passar um tempo mais quietos, mas depois vão precisar praticar crimes que capitalizam a quadrilha, como roubo a banco e roubo de carro", disse o policial.

Segundo ele, a saída dos bandidos do território acabou prejudicando o recebimento de informações. "Alguns deixaram os telefones para trás e não temos como monitorá-los. Além disso, os informantes não estão mais tendo contato com eles."

 

 

Veja também:

linkBandidos fugiram pelo esgoto e com uniformes do PAC

linkTraficante procurado é morto em confronto no Rio

linkABIH: Queda na ocupação de hotéis é pequena

linkUPP no Alemão deve ser instalada em seis meses, diz Cabral

blog Empresas de ônibus estudam pedir indenização

som Morador: 'Ainda não sabemos como isso vai ficar'

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

video Vídeo - Bope troca tiros no Complexo da Penha

forum Presenciou algum ataque? Conte-nos como foi

especialCRONOLOGIA - A crise de violência carioca

 

A transferência de Marcinho VP da Penitenciária de Catanduvas, no Paraná, para Porto Velho, em Rondônia, também foi mais um golpe para a rápida rearticulação do CV. "O VP foi o responsável por determinar os ataques incendiários que levaram à invasão do Alemão. Ele foi transferido e os seus comandados perderam território", diz o oficial.

O prejuízo do Comando Vermelho pode ser ainda maior. Não foram contabilizados nas perdas os revólveres, pistolas e granadas apreendidos. A polícia também tem informação de que os traficantes guardavam dinheiro na favela. Na véspera da invasão, a polícia apreendeu um menor que tentava sair do complexo com US$ 36 mil. Segundo investigações, ele compraria munição para a quadrilha.

Hoje, o governador Sérgio Cabral e o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, inauguram a 13.ª UPP no Morro dos Macacos, em Vila Isabel. Ainda está prevista para este ano a entrega de mais uma unidade no Morro São João, comunidade vizinha ao Macacos. Em outubro do ano passado, durante conflito entre as facções que dominavam essas duas comunidades, um helicóptero da PM foi abatido e três policiais morreram.

Cabral informou que já está pensando nos "passos seguintes" nas reconquistas dos territórios dominados pelo tráfico. Ele não quis estabelecer datas nem citar comunidades, mas o governador já disse que favelas grandes, como Jacarezinho e os complexos de Manguinhos e Maré, na zona norte, e Rocinha e Vidigal, na zona sul, também serão ocupadas.

"Não vamos dormir nos louros da conquista de ontem (anteontem). Nós acordamos bem cedo com os desafios de hoje e dos próximos dias, semanas e meses, que é a reconquista efetiva dos territórios ainda ocupados pelo poder paralelo", disse Cabral.

REAÇÕES

Maria Rita

Cantora

"Pela primeira vez em muito tempo percebo o otimismo voltando dentro de mim."

Astrid Fontenelle

Apresentadora

"Educação, saúde, segurança e trabalho são deveres do Estado. Vamos cobrar também."

Marcelo Yuka

Compositor

"Espero que OAB e autoridades estejam de olho no mais humilde. O clima é de uma tranquilidade baseada no medo, não na paz."

Alicinha Cavalcanti

Promoter

"Acompanhei a ocupação do Complexo do Alemão rezando para que não haja vítimas

inocentes."

Tico Santa Cruz

Músico

"Agora que o Bope pacificou a Vila Cruzeiro e o Alemão, que tal pacificar o Congresso Nacional expulsando os bandidos?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.