Em 1990, samba da escola do bairro já falava do estádio

Aos 61 anos, seu Leandro Alves é um dos personagens mais conhecidos e queridos de Itaquera. Com 1 ano de idade, chegou ao bairro quando só havia sítios de plantadores de pêssego. Todas as ruas eram de terra. Em movimentos sociais, ajudou nos anos 1970 a viabilizar a construção de conjuntos da Cohab para os migrantes nordestinos que moravam em favelas na várzea do Rio Tietê. Depois, em 1983, fundou a escola de samba Leandro de Itaquera, um dos orgulhos da zona leste.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2010 | 00h00

Seu Leandro lembra que a construção de um estádio do Corinthians em Itaquera foi um dos temas do enredo da escola de samba do bairro no carnaval paulistano de 1990. "Naquela época, o Corinthians já tinha decidido construir o estádio no terreno que até hoje está vazio. E fizemos uma homenagem para elogiar a decisão do clube. Ficamos em quarto lugar naquele ano", recorda o presidente da escola. A compositora do samba Itaquera, meu orgulho, meu amor, em homenagem ao estádio, foi a cantora e sambista Eliana de Lima. "Demorou 20 anos, mas o estádio enfim vai sair do papel", afirma seu Leandro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.