Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Elize Matsunaga vai a júri popular

Ela confessou ter matado e esquartejado o marido, Marcos Matsunaga, no dia 19 de maio de 2012; para juiz, ré agiu por motivo torpe

O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2013 | 02h09

O juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5.ª Vara do Júri da Capital, decidiu na quinta-feira, 15, enviar Elize Matsunaga a júri popular pela morte e ocultação do cadáver do marido, Marcos Kitano Matsunaga, ex diretor-executivo da Yoki Alimentos. Ela confessou ter matado a vítima com um tiro na cabeça no dia 19 de maio de 2012 e alegou em juízo anteriormente que cometeu o crime depois de uma discussão, na qual teria sido ameaçada de perder a guarda da filha do casal.

De acordo com o magistrado, há indícios de que Elize teria agido por motivo torpe, atirando no marido para vingar-se da traição - evitando, assim, que uma amante lhe causasse prejuízos sociais e materiais. Além disso, o homicídio teria o objetivo de ficar com o valor do seguro de vida e a administração dos bens do casal. Não foi marcada data.

Bacharel em Direito, Elize está detida no Presídio Feminino do Tremembé, no interior de São Paulo, desde o dia 20 de junho de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
elizematsunagayoki

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.