Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Elize Matsunaga é transferida para presídio de Tremembé

Acusada de matar o marido e diretor da Yoki, Marcos Matsunaga, deixou na tarde desta quarta-feira, 20, a Cadeia Pública de Itapevi

Juliane Freitas - estadão.com.br,

20 de junho de 2012 | 16h56

SÃO PAULO - Elize Matsunaga, de 30 anos, acusada de esquartejar o marido o empresário e diretor da Yoki, Marcos Matsunaga, 42, foi transferida na tarde desta quarta-feira, 20, da Cadeia Pública de Itapevi para o Presídio Feminino de Tremembé.

Segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo, Elize deixou a cadeia onde estava por volta das 14h. Ela teve a prisão preventiva decretada nesta terça-feira, 19, após a Justiça aceitar a denúncia do Ministério Público.

Matsunaga foi assassinado, no dia 19 de maio, dentro do apartamento do casal, na zona oeste de São Paulo, após uma briga. Elize confessou o crime. Laudo do IML aponta que Matsunaga foi decapitado ainda vivo, após ser baleado na cabeça.

Elize contou em depoimento que atirou contra o marido depois de uma discussão. Segundo a versão de Elize, Matsunaga a humilhou durante a briga e, em tom de ameaça, disse que revelaria à Vara da Família que Elize havia sido garota de programa, para tentar impedir que ela ficasse com a guarda da filha de 1 ano do casal. Ela também disse ter sido agredida pelo marido com um tapa.

De acordo com o promotor José Carlos Cosenzo, havia "claro interesse patrimonial" na morte do empresário, já que Elize era beneficiária de um seguro de R$ 600 mil e sua filha é herdeira de Marcos.

O Complexo Penitenciário do Tremembé, no interior do estado, é conhecido por receber acusados em casos de grande repercussão, como Suzane von Richthofen e Anna Carolina Jatobá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.