Google Maps
Google Maps

Elevador que despencou em Santos estava com manutenção em dia, diz Marinha

De acordo com vice-almirante, última vistoria da empresa Vilarta, responsável pelo equipamento, foi realizada em 23 de dezembro; moradora foi recepcionar parentes que passariam o réveillon na praia

Luiz Alexandre Souza Ventura, especial para o Estado

31 de dezembro de 2019 | 11h23

SANTOS - O elevador que despencou do nono andar e causou a morte de quatro pessoas da mesma família em Santos, no litoral sul de São Paulo, estava com a manutenção em dia, segundo informações do vice-almirante da Marinha, Sérgio Fernando de Amaral Chaves Júnior.

De acordo com o oficial, a última vistoria da empresa Vilarta, responsável pelo equipamento, foi realizada em 23 de dezembro. Agentes da Polícia Civil fizeram perícia no local durante a madrugada e um inquérito já foi instaurado.

O acidente aconteceu às 19h30 desta segunda-feira, 30, no Edifício Tiffany, que fica na Rua Guararapes, na Vila Belmiro, próximo ao estádio Urbano Caldeira, casa do Santos Futebol Clube.

Segundo as primeiras apurações, a moradora Jucelina Santos, de 47 anos, que vivia no nono andar do prédio há três anos com o marido, que é sub-oficial da Marinha, desceu para recepcionar a irmã, Lucineide de Souza Goes, o marido dela, Edilson Donizete, e filho do casal, Eric Miguel, de 19 anos, que tinham chegado de Santo André, no ABC Paulista, para passar o réveillon na praia.

Os quatro subiram com as bagagens pelo elevador de serviço até o nono andar, mas o equipamento caiu bruscamente até o sétimo e, logo depois, despencou até o térreo, causando a morte das quatro pessoas.

O edifício Tiffany foi construído em 1998 para ser moradia de marinheiros que trabalham na Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), tem nove andares, 54 apartamentos e dois elevadores, um social e outro de serviço.

A Defesa Civil de Santos informou que o acidente não afetou a estrutura do prédio. Segundo a Prefeitura de Santos, um engenheiro da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações foi ao local, acompanhado da equipe técnica da empresa que presta manutenção nos elevadores. A Vilarta está regular e tem alvará de instalação e funcionamento dos aparelhos.

Em 1° de dezembro, a empresa apresentou relatório trimestral obrigatório de regularidade, que atesta a responsabilidade técnica de manutenção preventiva realizada recentemente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.