Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Eletropaulo reforça poda contra blecaute na chuva

A queda de uma árvore na Avenida Washington Luís, Santo Amaro, zona sul, derrubou ontem dois postes, danificou outros três e deixou moradores da região sem luz até o fim da noite. O acidente é uma amostra da influência das quedas de galhos sobre a rede elétrica na Grande São Paulo: elas são responsáveis por 52% dos blecautes na região, conforme a AES Eletropaulo.

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2010 | 00h00

Para evitar problemas assim, a concessionária pretende fazer, até dezembro, 340 mil podas de árvores nas 24 cidades que atende - em 2009, foram 140 mil. "De novembro a março, o número de quedas de árvores é maior por causa de chuvas e ventanias", diz o gerente de Operação da concessionária, Sérgio Vieira.

Na capital, o serviço de poda é prestado também pelas subprefeituras. Até o fim de setembro, foram cortados galhos de 70.597 árvores, de acordo com a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras. A quantidade é maior do que as 37.423 solicitações feitas por moradores, segundo a pasta. Em situações de emergência, o corte pode ser feito também por bombeiros ou Defesa Civil.

Outra aposta da Eletropaulo para reduzir o tempo de atendimento aos pedidos dos moradores é o desenvolvimento de um sistema meteorológico capaz de prever com antecedência a formação de chuvas. "Se tivermos esses dados, poderemos posicionar as equipes em locais estratégicos e evitar que os carros fiquem presos nas enchentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.