Eletropaulo: Procon pede intervenção

Após apagão na semana passada, órgão quer que Aneel assuma empresa para resolver ''gravíssimos problemas de distribuição de energia''

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2011 | 00h00

O Procon de São Paulo solicitou à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) uma intervenção administrativa na concessionária AES Eletropaulo em razão do que chamou de "gravíssimos problemas" na distribuição de energia na Região Metropolitana desde 2009. Na prática, o objetivo do pedido é fazer com que a Aneel assuma, ainda que temporariamente, a direção da Eletropaulo.

Na semana passada, algumas áreas da Grande São Paulo ficaram mais de três dias sem energia elétrica após a passagem de um ciclone extratropical, com ventos de até 124 km/h, na terça-feira. Os problemas levaram o governador Geraldo Alckmin (PSDB) a afirmar que a empresa não tem condições de atendimento rápido e pedir que a Procuradoria Geral do Estado analise possíveis medidas contra a AES Eletropaulo.

A nova ofensiva do governo do Estado vem com o Procon, órgão ligado à Secretaria da Justiça. "O objetivo é que a empresa restabeleça a regularidade e o bom funcionamento dos seus serviços", disse ontem o Procon.

O órgão afirma que é dever da concessionária estar preparada para enfrentar problemas climáticos e manter uma equipe eficiente para, em tempo razoável, restabelecer o fornecimento de energia. O que, porém, "não tem sido verificado nos últimos tempos", afirma o Procon.

O órgão já aplicou R$ 18 milhões de multa à Eletropaulo, dos quais R$ 3,5 milhões foram pagos. Segundo o órgão, a empresa recorreu nos processos administrativos e na Justiça.

O Procon também critica o que diz ser a recusa da empresa em indenizar os consumidores que têm os seus equipamentos elétricos danificados.

A Aneel afirmou ontem que ainda não havia sido notificada sobre o pedido. A AES Eletropaulo informou, por meio de nota, que "tem mantido um plano de investimentos crescente" de forma a assegurar não só o atendimento ao crescimento no consumo de energia, mas também para melhorar a qualidade do fornecimento". Para o período 2011/2015, os investimentos previstos totalizam R$ 3 bilhões. A Eletropaulo não comentou se tem ressarcido donos de aparelhos danificados.

CRONOLOGIA

7 de junho

Chuva

Tempestade e ventos deixam 600 mil unidades sem luz.

9 de junho

Crítica

Alckmin diz que Eletropaulo não tem condições de atender rapidamente.

10 de junho

Ação

Queixas de falta de luz persistem e Alckmin pede à Procuradoria que estude medidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.