''Eles gritavam com as pessoas''

ENTREVISTA

, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2011 | 00h00

V.M., vítima do assalto

Acostumado a frequentar o Emporio Alto dos Pinheiros pelo menos uma vez por semana, o universitário V.M., de 22 anos, que pediu para não ser identificado, estava com oito amigos em uma mesa no mezanino do bar, quando os assaltantes chegaram na casa armados e gritando muito. Leia a seguir o relato dele sobre a ação.

Como foi o crime?

Eu fui até lá com um grupo de oito amigos para assistir ao jogo (Brasil e Equador, pela Copa América). Quando vimos, dois (assaltantes) subiram por uma escada de funcionários, mostraram arma e apontaram para todo mundo. Um deles estava com uma bolsa e ia pegando e colocando as coisas roubadas lá dentro.

Houve agressão?

Um dos assaltantes deu um tapa na cabeça de um amigo meu sem ele fazer nada. Ele só tinha levado susto. Eles pareciam meio nervosos, gritavam com as pessoas que estavam no bar.

Qual sua opinião sobre esses arrastões a restaurantes?

É complicado, não tem polícia.... E eu acho que o dono não é obrigado a ter segurança para o estabelecimento.

A casa estava cheia?

O jogo estava acabando e o movimento estava diminuindo. Eram umas 30 pessoas naquela hora. Depois, o gerente contou que os ladrões perguntaram se uma cerveja russa era saborosa, pegaram chocolate, reclamaram que não tinha champanhe e foram embora. Para um casal, um deles desejou boa noite e bom apetite.

O que roubaram de você?

A carteira com dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.