Eleições são o início de uma mudança

As eleições para os conselhos das 32 subprefeituras de São Paulo inauguram uma nova fase da democracia participativa, empoderando parcelas significativas da população para o exercício propositivo e de controle social descentralizado sobre as políticas públicas. Embora todo o processo necessite de aperfeiçoamentos, podemos considerar estas eleições como um marco.

ANÁLISE: Mauricio Broinizi Pereira, doutor em história econômica pela USP, O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2013 | 02h03

Os 1.125 conselheiros poderão fazer propostas para a atuação da subprefeitura, avaliar e fiscalizar os serviços públicos, monitorar o cumprimento de metas e ainda decidir sobre as principais obras e prioridades, incorporando a experiência do orçamento participativo.

As oportunidades para aprofundarmos e redefinirmos o regime democrático estão se abrindo diante do descontentamento com os limites e vícios da democracia representativa. Votar para os conselhos participativos pode ser o início de uma grande mudança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.