Dário Stecker dos Santos/AE
Dário Stecker dos Santos/AE

'Ela nasceu de novo', diz mãe de jovem que esperou resgate por 3 dias em SP

Caroline sonhou que amigo tinha morrido e foi visitá-lo; carro caiu em barranco no meio do caminho

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo,

30 de janeiro de 2012 | 17h54

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - A mãe da jovem que foi socorrida três dias após o veículo cair em um barranco em Populina, no interior de São Paulo, disse que os parentes a procuravam desde o dia do acidente. "Procuramos Caroline por diversas cidades, estradas, canaviais e até em cidades do estado do Mato Grosso do Sul e não a achamos", contou a dona de casa Fátima Carvalho Soares, de 40 anos.

Caroline Laila Soares saiu do trabalho para dormir na casa da avó, em Alexandrina, cidade vizinha onde a família mora, em Iturama (MG). "No meio do caminho, ela decidiu ir para a casa de um amigo, em Jales (SP), com que ela teve um sonho no qual ele morria", contou.

Com o passar dos dias, Fátima disse que pensou que a filha já estivesse morta. "Eu já pensava que queria encontrar minha filha, estivesse viva ou morta. A gente fica desesperada e reza muito", disse. O drama de Fátima terminou na noite de domingo, quando o funcionário da usina telefonou para o pai de Caroline contando que tinha encontrado a filha. "Ela ainda teve forças para dar o telefone para o moço, que nos avisou", afirmou.

Fátima reencontrou a filha ainda na noite de domingo, às 21h30, quando a moça deu entrada no pronto-socorro da Santa Casa de Fernandópolis. "Quando vi minha filha e vi que ela estava consciente eu pensei: Deus deu uma segunda chance para ela." Caroline continuava internada na Unidade de Terapia Intensiva da Santa Casa de Fernandópolis. "Os médicos estão esperando ela melhorar da anemia e da desidratação para operá-la da fratura. Mas ela não corre risco de vida, graças a Deus", afirmou. "Minha filha nasceu de novo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.