Educadora prevê 5 anos de espera por indenização

Ainda desavisada sobre o novo juizado, a população de São Paulo não sabe mais o que esperar das queixas protocoladas na Justiça contra o poder público. A demora é angustiante para a educadora física Elaine Carvalho, de 26 anos, que perdeu parte dos móveis quando as chuvas do começo do ano alagaram sua casa na zona leste. A indenização que Elaine pode receber da Prefeitura é de R$ 5 mil, segundo seu advogado, mas ela não acredita que receberá o dinheiro tão cedo. "Meu advogado já disse que é coisa para mais de 5 anos. Nem sei em que pé está o processo", diz.

Nalaly Costa, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2010 | 00h00

Presidente do Conselho das Associações de Amigos de Bairro da Região da Lapa (Consab), José Benedito Morelli já perdeu as contas de quantas árvores caíram em cima de carros estacionados nas ruas do bairro. "Muita gente reclama, mas é difícil ver retorno", afirma.

Processos. As irmãs, vizinhas e donas de casa Josefa e Ozerina Carneiro chegaram a entrar com um processo contra o Estado porque tiveram os carros danificados por árvores na Lapa, mas desistiram. "Não sabemos como cobrar nossos direitos na Justiça. Com essa nova vara, pode ser que melhore, mas não sei, não", diz Josefa.

A paisagista e moradora do Jardim Paulistano Maria das Graças Câmara, de 61 anos, enfrenta uma batalha contra a Prefeitura há mais de dez. Um córrego que passa ao lado de sua casa transbordou mais de uma vez, inundando toda a sala e a garagem. "Da última vez, chegou a 1,6 metro de água. Tive isenção do IPTU por um tempo, mas acho pouco para o prejuízo que já tive", explica ela. O valor da indenização de Maria das Graças é calculado em R$ 16 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.