Educação e respeito já são capazes de tornar SP 'ciclável'

ANÁLISE: Ricardo Correa

O Estado de S.Paulo

14 Maio 2013 | 02h05

A cidade pode ser "ciclável" sem tirar os carros da rua. O que dá para fazer de imediato é diminuir a velocidade dos carros. Um estudo recente da ONU afirma que o Brasil tem uma das maiores velocidades aferidas do mundo. Enquanto na Alemanha é de cerca de 50 km/h, aqui passa de 70 km/h. Nossa legislação é rígida o suficiente: em vias locais, o limite é de 30 km/h, o que é seguro ao ciclista, mas, como essas vias não são monitoradas, a velocidade máxima não é respeitada.

Outra coisa importante para os ciclistas é a reciclagem dos motoristas de ônibus com relação ao respeito. É mais fácil reeducar os motoristas de ônibus do que os de carros porque os ônibus já estão em conflito com as bicicletas. As duas mortes na Avenida Paulista ocorreram nesse confronto por espaço. Mas, a médio prazo, é preciso haver mais educação nas autoescolas.

 

* Ricardo Correa é urbanista

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.