Eduardo Suplicy relata abusos sexuais contra moradora do Pinheirinho

Senador enviou cópia de declaração dada à promotor por suposta vítima aos ministérios e governo de SP

Ricardo Brito, Agência Estado

03 de fevereiro de 2012 | 19h14

SÃO PAULO - O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) afirmou, em discurso nesta sexta-feira, 3, no plenário do Senado, que teria ocorrido abuso sexual de pessoas durante a desocupação de Pinheirinho, em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Suplicy acompanhou na quinta o depoimento prestado por supostas vítimas ao promotor de Justiça João Marcos Costa de Paiva.

De acordo com a cópia do depoimento, que a assessoria de Suplicy repassou à imprensa, é relatado que, no dia 22 de janeiro, primeiro dia da reintegração de posse, uma casa com seis moradores foi invadida à noite de forma "abrupta" e "violenta" por policiais militares supostamente ligados à Rota.

Uma das moradoras da casa, de 26 anos, teria sido, segundo o termo de declarações, isolada dos demais - inclusive do marido. E teria sido submetida durante quatro horas a sevícias, como sexo oral e apalpação de órgãos. O caso teria se dado dentro de uma viatura policial.

A assessoria de Suplicy informou ter enviado hoje cópia do termo de declarações aos ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O senador quer que as autoridades tomem providências quanto ao ocorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.