Edinho, filho de Pelé, é preso no litoral de SP

Edinho, filho de Pelé, é preso no litoral de SP

Edson Cholbi do Nascimento foi detido após ser expedida ordem de captura referente ao processo de lavagem de dinheiro

Zuleide de Barros, Especial para O Estado

18 de novembro de 2014 | 18h01

Atualizada às 19h58

PRAIA GRANDE - O ex-goleiro do Santos FC, Edson Cholbi do Nascimento, o Edinho, filho de Pelé, foi preso na tarde desta terça-feira, 18, no Fórum de Praia Grande, por conta de uma ordem de captura expedida pela Justiça. Edinho compareceu ao fórum, acompanhado de seu advogado, como faz mensalmente, a fim de cumprir medida cautelar, quando foi preso. 

No dia 30 de maio, ele foi condenado a 33 anos e quatro meses de reclusão no processo de lavagem de dinheiro do tráfico de entorpecentes. Ele aguardava em liberdade o julgamento de um recurso de apelação.


Em janeiro de 2005, o ex-goleiro foi preso com mais 17 pessoas durante a Operação Indra, que tinha como objetivo desarticular uma quadrilha acusada de tráfico de drogas. Junto com Edinho foi preso um dos maiores traficantes da região, Ronaldo Duarte Barsoti de Freitas, conhecido como Naldinho, que desapareceu misteriosamente da prisão e que está foragido há seis anos.

Nesta terça, o advogado do ex-jogador, Eugênio Malavassi, informou que vai entrar com um pedido de habeas corpus para relaxamento da prisão. Não é a primeira vez que o filho de Pelé é preso. Em julho deste ano, ele foi detido por não apresentar o seu passaporte. Mesmo alegando que havia perdido o documento e que não pretendia se ausentar do País, ele ficou preso durante uma semana na Cadeia Pública de Santos, anexa ao 5.o Distrito Policial, depois de controvérsia sobre a necessidade de uso de uma tornozeleira.

De acordo com o delegado titular da delegacia-sede de Praia Grande, Aloísio Pires de Araújo, Edinho não esboçou reação ao ser informado sobre a prisão. "É claro que ele ficou abalado com a notícia, porque foi ao fórum para uma prestação de contas de suas atividades, como vinha fazendo mensalmente. O ex-jogador e atual assistente técnico efetivo do Santos Futebol Clube não pode ser transferido para a Cadeia Pública de Praia Grande, devendo permanecer em uma cela da própria delegacia. 

Tudo o que sabemos sobre:
PeléPraia Grande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.