Edifício atacado reforça sistema de proteção

Vários edifícios assaltados têm melhorado seu sistema de segurança. É o caso do Morada do Alto, na Rua Morás, em Pinheiros, zona oeste, invadido em novembro. Mais de 50 moradores ? incluindo dois bebês ? foram rendidos por três horas e 13 dos 16 apartamentos foram roubados. Os assaltantes clonaram o controle remoto da garagem e entraram no edifício com um Corolla preto parecido com o de um morador. As quatro câmeras não gravaram a ação.

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2010 | 00h00

Menos de seis meses depois, a entrada do prédio é um canteiro de obras. Uma nova guarita com vidro blindado está sendo construída, 14 câmeras serão instaladas e todo o percurso que dá acesso ao prédio será reformulado. Além disso, um mecanismo de programação de tempo só permitirá a abertura da guarita nos horários de almoço e trocas de turno, para evitar que porteiros saiam do local durante o serviço.

Um software instalado na portaria mostrará a placa do carro, o modelo e as fotos das pessoas cadastradas cada vez que o controle da garagem ? que ganhará um chip individual por veículo ? for acionado. Só após a identificação a entrada será liberada.

Segundo o zelador do prédio, Antônio Carlos Fávaro, os seis funcionários do condomínio passarão por treinamento de segurança. "Estamos mudando nosso sistema de segurança. Não estávamos preparados para uma ação como aquela." A administração calcula que serão gastos cerca de R$ 170 mil na reforma ? menos de 10% do total de R$ 2 milhões levados pelos assaltantes, segundo estimativa dos moradores. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.