Ecovias ainda não definiu reconstrução de passarela

O departamento jurídico da concessionária analisa se vai acionar na Justiça caminhoneiro e empresa

Humberto Maia Junior, Jornal da Tarde

16 de julho de 2008 | 08h59

A Ecovias, concessionária responsável pela Rodovia dos Imigrantes, deve anunciar na sexta-feira quando começam as obras de reconstrução da passarela destruída anteontem por um caminhão, que andava com a caçamba levantada. No acidente, uma pessoa morreu, o japonês Soichiro Furuyabu, de 30 anos, passageiro do carro dirigido por Daniel Caçador, de 36. O veículo em que estavam bateu na passarela logo após ela tombar na rodovia, no sentido Norte (Litoral-São Paulo). Câmera da Ecovias grava momento do acidente com passarela O departamento jurídico da Ecovias, empresa que administra o sistema Anchieta-Imigrantes, informou que ainda estuda se irá ou não entrar com uma ação judicial por danos materiais contra o caminhoneiro e a empresa dona do veículo que atingiu a passarela da rodovia na segunda-feira. De acordo com a Ecovias, o Departamento de Engenharia da concessionária analisa se o trecho da passarela que não foi abalado pela batida precisa ser reconstruído. Caso não seja necessário, a reforma se restringe aos 25 metros que foi destruído. Na sexta, também serão divulgados os prazos e custos da obra, que será realizada por meio de licitação. Enquanto a passarela não fica pronta, os moradores da região atravessam a Imigrantes pela Rua Xavier Paes, que passa por baixo da rodovia, cerca de 500 metros depois da passarela.  Vítimas Daniel Caçador continua internado no Hospital São Luiz, na Zona Leste, e não tem previsão de alta. Ele passou por cirurgias nos pés e no abdômen. Seu estado, de acordo com boletim médico divulgado pelo hospital, é estável. O cônsul geral adjunto do Japão em São Paulo, Maru Hachi, informou que os familiares de Furuyabu devem vir ao Brasil nos próximos dias para decidir onde será enterrado.

Tudo o que sabemos sobre:
acidenteRodovia dos Imigrantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.