Ecoturismo faz Mateiros ter o maior crescimento do País

Conhecida como a 'capital' do Jalapão, cidade também tem soja e é a única onde cresce o capim dourado

CÉLIA BRETAS TAHAN / PALMAS , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2013 | 02h08

Localizado no coração do Jalapão, o município de Mateiros teve o maior crescimento no IDHM entre 2000 e 2010 no País. A cidade sobrevive, basicamente, do ecoturismo e do plantio de soja, na região que faz divisa com a Bahia. É também o único lugar do Brasil onde nasce o capim dourado, matéria-prima de bijuterias, bolsas, utensílios domésticos e diversas outras peças, trabalhadas pelos moradores da comunidade Mumbuca, onde moram os descendentes de quilombolas.

O prefeito Júlio Mokfa (PR) atribui o crescimento do IDH à aplicação correta dos recursos públicos, que chegam a R$ 3 milhões por ano. A cidade tem pouco mais de 2,2 mil habitantes, de acordo com o censo mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No que se refere à Educação, a área que apresentou maior crescimento no IDHM, há um colégio estadual e cinco unidades municipais de ensino básico, quatro na zona rural. "E não faltam vagas para as crianças em idade escolar", garante Mofka, que, no momento, está construindo uma creche para crianças em idade pré-escolar.

Mas asfalto há só na rua principal. Em outras vias do centro da cidade, a prefeitura colocou bloquetes. Não há nenhuma rede de saneamento básico, apenas cisternas e fossas. O atendimento no único posto de saúde de Mateiros é feito por dois médicos. A cidade não tem laboratórios para exames nem hospital. A única ambulância só circula no município.

"Não dá para levar os casos mais graves para Porto Nacional, por causa da condição das estradas", afirma o prefeito. Nesses casos, o transporte é feito pelos próprios moradores, que têm caminhonetes 4X4, uma vez que Porto Nacional fica a 170 quilômetros, dos quais 140 quilômetros são de terra.

Janaína Pereira de Castro, de 23 anos, que nasceu, cresceu e sempre estudou em Mateiros, não tem nenhuma vontade de deixá-la. Para ela, a Educação melhorou muito nos últimos dez anos, assim como a renda da população, fato que atribui ao crescimento do turismo.

Assessora especial da Secretaria Municipal de Educação, Janaína destaca que houve crescimento também no número de casas, até na zona rural, onde eram comuns as palhoças de pau a pique e hoje prevalecem as construções de alvenaria.

A dona de chácara Maria do Socorro Pereira, de 43 anos, chegou a Mateiros há 9, vinda de Alagoas. O marido, que era segurança em uma fazenda, conseguiu comprar a terra onde criam gado. "Não tínhamos nada quando chegamos e a nossa vida melhorou muito, graças a Deus", afirma Socorro. Suas duas filhas, de 23 e 24 anos, também moram e trabalham em Mateiros, de onde ninguém da família tem vontade de ir embora.

A cidade. O nome do município se deve à grande quantidade de veados mateiros encontrada na região. Localizada a 341 km da capital, Palmas, Mateiros é o centro do Jalapão, região conhecida por cachoeiras, dunas, e artesanato de capim dourado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.