''É mais caro comprar aqui que na Europa''

Kamal Hussein, egípcio, operador de turismo no Cairo

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2011 | 00h00

Os quase 20 milhões de habitantes da Grande São Paulo não impressionam o egípcio Kamal Hussein. No Cairo, onde mora, a população da região metropolitana chega a 17 milhões. "São metrópoles parecidas no tamanho", conta ele, que esteve na capital na semana passada para o 17.º Workshop e Trade Show da CVC, de onde é operador de turismo, e aproveitou o calor para conhecer o Guarujá.

Melhorias. "Estive aqui pela primeira vez há 17 anos e acho que São Paulo está melhorando. As ruas estão menos esburacadas e mais iluminadas."

Preços. Como qualquer turista, o egípcio não entende porque a cidade é tão cara. "Vi os preços subirem absurdamente no Brasil. É mais caro comprar aqui que na Europa! Roupa de marca, então, é impossível."

Brasil e Egito. "Os turistas daqui estão descobrindo o Cairo. Hoje recebemos cerca de 30 mil brasileiros por ano lá."

Caos político. "Quanto tempo uma pessoa leva para se recuperar de uma cirurgia de alto risco? É o que está acontecendo no Egito: estamos nos recuperando. Bastante rápido até. Já reabrimos o museu e outros pontos turísticos."

Hosni Mubarak (ditador egípcio derrubado do poder). "Foi um erro. Agora faz parte do passado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.