''É mais caro comprar aqui que na Europa''

Kamal Hussein, egípcio, operador de turismo no Cairo

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2011 | 00h00

Os quase 20 milhões de habitantes da Grande São Paulo não impressionam o egípcio Kamal Hussein. No Cairo, onde mora, a população da região metropolitana chega a 17 milhões. "São metrópoles parecidas no tamanho", conta ele, que esteve na capital na semana passada para o 17.º Workshop e Trade Show da CVC, de onde é operador de turismo, e aproveitou o calor para conhecer o Guarujá.

Melhorias. "Estive aqui pela primeira vez há 17 anos e acho que São Paulo está melhorando. As ruas estão menos esburacadas e mais iluminadas."

Preços. Como qualquer turista, o egípcio não entende porque a cidade é tão cara. "Vi os preços subirem absurdamente no Brasil. É mais caro comprar aqui que na Europa! Roupa de marca, então, é impossível."

Brasil e Egito. "Os turistas daqui estão descobrindo o Cairo. Hoje recebemos cerca de 30 mil brasileiros por ano lá."

Caos político. "Quanto tempo uma pessoa leva para se recuperar de uma cirurgia de alto risco? É o que está acontecendo no Egito: estamos nos recuperando. Bastante rápido até. Já reabrimos o museu e outros pontos turísticos."

Hosni Mubarak (ditador egípcio derrubado do poder). "Foi um erro. Agora faz parte do passado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.