Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

'É evidente que menores estavam armados', diz Alckmin

Governador comentou morte de menino de 10 anos em ação da PM na semana passada e defendeu uma apuração rigorosa

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

06 Junho 2016 | 16h45

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira, 6, que assistiu ao vídeo do garoto sobrevivente de 11 anos, colega do menino de 10 morto com um tiro na cabeça por policiais militares na noite de quinta-feira, 2, e que "parece ser espontâneo".

 

O vídeo mostra a criança de 11, sentada em uma viatura policial, sendo interrogada por PMs logo após a perseguição que terminou em morte. O governador afirmou que nenhuma hipótese está descartada e defendeu uma apuração "rigorosa". Segundo Alckmin, é "evidente" que os dois estavam armados. O menor que sobreviveu a ação da polícia disse, em dois depoimentos, que o seu colega tinha uma arma e realizou disparos naquela noite.

 

“Nenhuma hipótese está descartada. É evidente que os menores estavam armados. Houve tiro. Mas vamos aguardar a apuração com todo o rigor”, afirmou o tucano em agenda pública no Palácio dos Bandeirantes. "Uma tragédia. Uma criança com uma vida toda pela frente. É grave.” 

Embora tenha dito ser "evidente” que os menores estavam armados, ao ser questionado sobre as evidências preferiu não detalhar. "Foi encontrada a arma... Vamos aguardar toda a perícia". Em seguida, afirmou que os policiais envolvidos na ação já foram afastados e que, agora, é preciso aguardar a perícia e a apuração.

 

A investigação, destacou, será conduzida pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) "com todo o rigor".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.