É essa a imagem que o carnaval de SP passa para o mundo

Análise Kaxitu Ricardo Campos

É PRESIDENTE DA UNIÃO DAS ESCOLAS DE SAMBA PAULISTANAS (UESP) , O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h01

Lamentável o que aconteceu. Trata-se de um péssimo exemplo que o carnaval dá para a sociedade. Ao que me parece, o estopim foi decorrente de um descontentamento dos presidentes das escolas, uma questão de credibilidade em relação ao corpo de jurados.

O que originalmente não era um problema relacionado a alguma das três escolas ligadas a torcidas de clubes de futebol acabou estourando para esse lado. Isso porque, no caso da Gaviões da Fiel, o número de presentes era bem maior na apuração, cerca de 2 mil, 3 mil pessoas. E a multidão saiu às ruas revoltada.

Mas não foi uma reação de torcedores; foi, antes, uma reação em cadeia iniciada por pelo menos cinco ou seis presidentes de outras escolas de samba, inconformados com o resultado.

Estamos chocados. É essa a imagem que o carnaval de São Paulo está passando para o mundo. Como vai ser o clima amanhã? O Anhembi está destruído e, com ele, a imagem do carnaval. Preocupamo-nos com as consequências.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.