'É coisa para várias gestões', diz corregedor

A Corregedoria-Geral do Município também investiga a suposta participação de funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e de fiscais das subprefeituras no escândalo dos shoppings paulistanos. Segundo denúncias de ex-funcionários da Brookfield Gestão de Empreendimentos (BGE), que é sócia dos cinco centros comerciais sob suspeita, o pagamento de propina a esses funcionários teria proporcionado o funcionamento dos centros comerciais mesmo em situação irregular.

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h05

Questionado sobre a necessidade de um "pente-fino" nesses setores da administração, o corregedor-geral, Edilson Mougenot, afirmou que é necessário "um pente quilométrico" para verificar o que é regular e o que não é dentro da Prefeitura. "Isso é coisa para várias gestões." / R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.