É certo exigir firma reconhecida para transferir pontos?

Sim Como ainda não há a necessidade de reconhecer firma, fica muito simples fraudar a transferência dos pontos das multas. Até o cidadão comum que não é criminoso participava dessas fraudes. Para não ter a carteira suspensa, ele procurava os serviços de despachantes, que mantinham relação promíscua com alguns funcionários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A nova medida vai coibir fraudes, pois os motoristas ficarão com medo de ser processados por falsidade ideológica. A mudança também vai ajudar a moralizar o serviço do Detran, que poderá fiscalizar de maneira mais eficiente os casos suspeitos. O Detran estava em descrédito em virtude da corrupção que existia no órgão. A transferência do Detran da Secretaria da Segurança Pública para a de Gestão Pública, no ano passado, foi benéfica. Lógico que a mudança vai causar um transtorno a mais ao usuário. Pessoas boas acabam pagando pelas de má-fé.

O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2012 | 03h02

NãoNão sou contra coibir as fraudes, mas não se pode criar uma série de burocracias para atrapalhar mais ainda o dia a dia do cidadão em uma cidade de trânsito caótico e com órgãos públicos lotados. As entidades de trânsito já deveriam ter mecanismos mais eficientes para coibir as fraudes na transferência de pontos de multas. O sistema de informática proposto pela resolução do Contran (para acompanhar casos de motoristas com reincidência de indicação de pontos) é uma alternativa de fiscalizar essas fraudes sem criar transtornos. Na era da internet, ainda se faz as pessoas terem de comparecer na frente de um funcionário público para assinar um documento. Esses órgãos públicos vão ter de oferecer um serviço adequado para não tornar a vida do cidadão mais difícil. Imagine perder um dia de trabalho para fazer a transferência dos pontos, ficar preso no trânsito e ainda perder uma, duas, três horas no órgão público para fazer o procedimento...

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.