Dutra é liberada após obras em ponte ameaçada

Trecho ficou interditado da tarde sexta-feira até ontem pela manhã; lentidão chegou a 10 quilômetros no local

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2011 | 03h04

Interditado desde sexta-feira por causa do risco de desabamento de uma ponte, o km 118 da Rodovia Presidente Dutra foi liberado ontem, por volta das 8h30.

Por causa da interdição, perto de Taubaté, o tráfego de veículos em direção à capital paulista ficou suspenso desde a tarde de sexta e os motoristas foram obrigados a usar uma das faixas de rolamento da pista sentido Rio como alternativa.

Quem precisou passar pela rodovia no fim de semana enfrentou os transtornos até o início da manhã de ontem. Na região, a lentidão no tráfego chegou a formar filas de quase 10 quilômetros de extensão.

Segundo a concessionária NovaDutra, empresa que administra a rodovia, as chuvas dos últimos dias teriam provocado erosão em uma das cabeceiras da ponte. Formou-se então um vão, que colocou em risco a estrutura e provocou a interdição da pista pela Polícia Rodoviária Federal. Desde o início, a concessionária negou que houvesse risco de desabamento da ponte.

A opção pela liberação do trecho da rodovia em direção à capital paulista veio depois que técnicos levaram no sábado amostras do concreto usado na obra para um laboratório, onde foram feitos testes de secagem e resistência do material. O tráfego de veículos voltou ao normal em todo o trecho. / SOLANGE SPIGLIATTI

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.