Dura quase 6 horas drama de reféns na zona leste de SP

Homem invadiu o local na noite de quinta para tentar se reconciliar com a ex-mulher, que é funcionária da loja

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

25 de abril de 2008 | 03h43

Já dura quase 6 horas o drama de quatro funcionários mantidos reféns no interior da casa de esfirras Turco, localizada na esquina da Rua Visconde de Itaboraí com a Rua Tijuco Preto, no Tatuapé, zona leste da capital paulista. Um homem invadiu o local por volta das 21h30 de quinta-feira, tendo como alvo sua ex-mulher. Segundo a polícia, armado com um revólver calibre 38, um rapaz identificado como Carlos mantém a ex-mulher, Rosinete, que trabalha como atendente no local, e outros quatro funcionários - dois cozinheiros e uma atendente - trancados no banheiro com ele. Um casal de clientes com seus dois filhos e o motoboy que realiza entregas conseguiram deixar o estabelecimento e acionaram a Polícia Militar, que cercou a lanchonete. Como as negociações não progrediam, os policiais do 08º Batalhão resolveram pedir auxílio ao Grupo de Ações Táticas e Especiais (GATE). O grupo de elite da PM chegou ao local no início da madrugada. Segundo a polícia, Carlos procurou Rosinete no trabalho com o objetivo de se reconciliar com ela, mas, ao não ter da moça a atenção desejada, resolveu sacar a arma e tomar todos reféns. Ele afirma que vai matar a ex-mulher e se suicidar.

Tudo o que sabemos sobre:
refénsTatuapépolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.