Duplicação da Tamoios tem novo atraso

O início das obras de duplicação da Rodovia dos Tamoios, no litoral paulista, terá novo atraso e as obras só vão começar no segundo semestre do próximo ano. Caso não haja mais imprevistos, a pista só será entregue duplicada às vésperas da Copa do Mundo, no primeiro trimestre de 2014. A informação irritou prefeitos, que também discordam da ordem de duplicação.

Reginaldo Pupo,

18 de agosto de 2011 | 00h45

No dia 26, o governador Geraldo Alckmin informou que o início dos trabalhos havia sido transferido de janeiro para março e a conclusão, para 2013. O segundo atraso no cronograma de construção em três semanas foi anunciado em audiência pública no fim de semana, em São José dos Campos. Na ocasião, o diretor de Engenharia do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Estanislau Marcka, afirmou que as obras serão iniciadas pela região de planalto.

Políticos. A decisão contraria a vontade de prefeitos do litoral norte, como o de Caraguatatuba, Antonio Carlos da Silva (PSDB). "Não adianta começar no planalto, se o caos continuar no trevo de Caraguá", ressaltou. A cidade também recebe todo o fluxo de Ubatuba, São Sebastião e Ilhabela. O prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi (PSC), afirmou que "preferia ver os contornos sendo construídos".

Para o DER, o começo pelo planalto vai beneficiar os motoristas. Segundo Marcka, o licenciamento ambiental para o trecho de serra seria mais complexo.

O atraso anunciado no fim de semana também se deve ao fato de o governo decidir prolongar a duplicação, do km 11,5 até o km 64,4, cobrindo o trecho de planalto, num total de 53 km. Serão mais 31 km na primeira fase.

Além disso, há quatro aprovações ambientais pendentes: o planalto, o trecho da serra, os contornos (de São Sebastião e de Caraguatatuba) e o Porto de São Sebastião. Todos precisam de Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental (Eia-Rima).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.