Dupla se rende após libertar reféns em farmácia em SP

Cruzamento da avenida Antártica com a Rua Turiaçu foi bloqueado; negociações duraram quase duas horas

27 de fevereiro de 2008 | 22h50

Após fazer sete pessoas reféns durante assalto a uma farmácia, uma dupla de assaltantes se entregou à polícia, na noite desta quarta-feira, 27. O assalto ocorreu por volta das 22 horas e os bandidos se renderam às 23h40. A ação aconteceu em uma loja da rede Drogaverde, localizada em frente à Praça Marrey Jr., na esquina da Avenida Antártica com a Rua Turiaçu, em Perdizes, na Zona Oeste da Capital. O local fica perto do Estádio do Palmeiras.    Veja a galeria de fotos   Durante o assalto, houve uma denúncia anônima. Quando os ladrões perceberam a chegada da polícia, mandaram seis dos reféns para o fundo da farmácia e saíram com um balconista para negociar com os policiais. Enquanto isso, os reféns conseguiram sair pelos fundos e subir no telhado, de onde foram resgatados pela polícia.   Os reféns, quatro funcionários e dois clientes, foram resgatados pelo telhado por um buraco no teto aberto pelos criminosos, que planejavam fugir durante as negociações.   Até as 23h40, os assaltantes negociaram a libertação do funcionário mantido refém com a Polícia Militar e o Grupo de Operações Especiais (GOE). Eles afirmaram que se entregariam mediante a presença da imprensa, de suas famílias e do seu advogado, mas acabaram cedendo sem ter as exigências atendidas.   Durante a ação, mais de 20 carros da PM chegaram a cercar o local, e muitos policiais ficaram na área próxima à farmácia. O trânsito foi fechado na região e um helicóptero da polícia fez sobrevôos, iluminando o local onde estavam os bandidos durante cerca de três minutos.   Após ser libertado, o balconista Michel (que não informou o sobrenome) mostrou preocupação com os colegas. "Estou preocupado com o pessoal", fazendo menção aos outros cinco reféns, todos funcionários da Drogaverde.   Segundo a polícia, um dos assaltantes é Luiz Albuquerque Cunha, de 18 anos. Seu comparsa se identificou como  José Edis de Albuquerque, procurado por roubo, e disse ser maior de idade. Ele passará por legitimação para ter sua identidade e idade confirmadas.   Colaboraram Rodrigo Pereira, de O Estado de S. Paulo, Ricardo Valota e Oswaldo Faustino, do estadao.com.br   (Matéria atualizada às 2h20) 

Tudo o que sabemos sobre:
refénsfarmáciaroubo com refém

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.