Dupla pega carro em estacionamento e mata 2 pessoas

Funcionário 'emprestou' veículo de médica para amigos irem a festa na noite de sábado; no caminho, eles causaram o acidente

BRUNO RIBEIRO , FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2011 | 03h03

Um automóvel Kia Carens, que havia sido guardado em um estacionamento da Avenida Angélica, no bairro de Higienópolis, na região central de São Paulo, foi emprestado por um dos guardadores de carros a dois amigos que iam para uma festa em Caieiras, na Grande São Paulo. A dupla acabou provocando um acidente que terminou com a morte de duas pessoas e deixou uma terceira ferida. O acidente aconteceu na noite do sábado.

Os mortos foram a jornalista Denise Pimentel Spera, de 25 anos, e o professor de informática Bruno Tuon Perim, de 27. Moradores de Caieiras, eles estavam na Estrada Velha de Campinas (SP-332) em um Palio Weekend com a jornalista do Grupo Estado Ligia Tuon, de 25 anos, que ficou ferida, mas já teve alta médica. Eles seguiam para jantar em um restaurante da capital.

A pediatra A.B.G. (que pediu para não ter o nome publicado), de 33 anos, conta que deixou seu Kia no Sistema Riti Estacionamentos, que gerencia a garagem do Hospital Sabará, onde ela trabalha, às 20 horas de sábado. Por volta das 2 horas de domingo, recebeu uma ligação da Polícia Civil informando que o carro dela havia se envolvido em um acidente no município de Caieiras. "Pensei que era trote. Estava atendendo um paciente em convulsão e nem atendi de primeira. Só soube das mortes depois. Foi um choque."

Ultrapassagem proibida. Segundo a polícia, o manobrista Jhonatan Paulino Alves dos Santos, de 22 anos, emprestou o Kia aos amigos Higor Costa Araújo e Nivaldo Castrol, ambos de 22, para irem a uma festa no bairro de Laranjeiras, em Caieiras. Na estrada, o veículo tentou ultrapassar uma carreta e acertou o Palio onde estavam as jornalistas. No local da batida, na altura do Sítio Aparecida, a ultrapassagem é proibida.

O Palio bateu também em um caminhão. Perim, que estava no banco de trás, morreu na hora e Denise, motorista do veículo, no Hospital Lacaz, em Francisco Morato. Ligia só soube das mortes dos dois amigos no hospital.

Crimes. A Polícia Civil indiciou por homicídio culposo (sem intenção de matar) tanto Araújo, que dirigia o Kia, quanto o motorista do caminhão. Araújo foi indiciado também por fuga de local de acidente: ele só se apresentou no dia seguinte à polícia, o que impossibilitou a realização de exames clínicos para verificar se havia bebido.

O funcionário do estacionamento foi indiciado por apropriação indébita, uma vez que pegou o carro da médica sem avisá-la e o emprestou a seus dois amigos.

Santos não foi localizado ontem no estacionamento em que trabalha. Os outros acusados também não foram localizados pela reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.