Dupla invade academia e mata comerciante

Na tentativa de escapar de perseguição, homem perdeu o controle do carro, bateu em dois veículos e entrou no estabelecimento, onde foi morto

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2012 | 03h26

O comerciante Itane Cardoso de Macedo, de 40 anos, foi morto a tiros anteontem, depois de ser perseguido por dois homens em uma moto em Alphaville, em Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo. O assassinato provocou pânico entre funcionários e alunos de uma academia onde tudo aconteceu - um deles foi baleado. Macedo carregava no carro US$ 10 mil e R$ 9 mil, que não foram levados pelos criminosos. A polícia ainda investiga o caso.

Segundo testemunhas, o comerciante, que trabalha com compra e venda de veículos, dirigia um Palio Weekend pela Alameda Grajaú, e foi perseguido por dois homens em uma moto Honda CB 300 vermelha. Durante a fuga, ele perdeu o controle e bateu em outros dois carros.

Após o acidente, desceu do Palio e correu até uma unidade da Academia 24h, onde entrou no estacionamento. Os criminosos continuaram a perseguição com a moto e dispararam várias vezes contra o comerciante com uma pistola calibre 380. Na sequência, fugiram na direção da Rodovia Castelo Branco.

Macedo foi socorrido com vida por guardas municipais e morreu em um hospital da cidade. Segundo familiares, ele estava em Alphaville para tratar de assuntos particulares com um conhecido chamado Rogério.

Pânico. O manobrista Leandro Neto, de 43 anos, estava na frente da academia no momento do crime e disse que houve correria. "Foi um tumulto muito grande. A academia estava muito cheia." Havia aproximadamente 80 carros no estacionamento e cerca de 200 alunos.

Durante a perseguição, um vendedor de 65 anos, aluno da academia, foi atingido com um tiro no pé esquerdo. Ele foi socorrido e liberado. A rede de Academias 24h divulgou nota em que lamenta o incidente e informa que o aluno receberá ajuda.

Investigação. O caso é investigado pelo 2.º DP de Barueri. Para a polícia, a única certeza é de que os criminosos não estavam atrás do dinheiro, como comprovam imagens de câmeras de vigilância. Nem a mulher do comerciante sabia que ele tinha cerca de R$ 30 mil no carro.

No início do ano, Macedo desistiu da negociação de um imóvel em Alphaville pelo qual pagava prestações consideradas altas. Ele se preparava agora para comprar uma casa em Mogi das Cruzes. A polícia apura também a origem da renda dele. Macedo tinha antecedentes criminais: em outubro de 2003, foi condenado a 3 anos de prisão por furto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.