Duas pessoas são baleadas no centro de SP durante a madrugada

Vítimas foram socorridas por um policial militar, que atendeu a pedidos de socorro de pessoas que passavam pelo local

Juliane Freitas e Ricardo Valota - O Estado de S. Paulo,

18 de novembro de 2012 | 13h37

Duas pessoas foram baleadas na madrugada deste domingo, 18, na região central de São Paulo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, dois travestis, um de 17 e outro de 20 anos, foram socorridos por um policial militar, que atendeu a pedidos de socorro de pessoas que passavam pelo local. Desde a noite deste sábado, duas pessoas morreram e seis, incluindo as vítimas, ficaram feridas por crimes de arma de fogo na Grande São Paulo.

Os jovens foram encontrados caídos no chão na Rua Bento Freitas, na região da República, com tiros na perna e nos pés, e encaminhados à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, próximo ao local, onde permanecem internadas. A polícia instaurou uma perícia no local. O caso foi registrado no 78º DP como tentativa de homicídio. Ninguém foi preso.

Outros Casos

Dois jovens foram mortos a tiros e um sobreviveu a uma tentativa de chacina por volta das 22h30 de sábado, 17, no Parque Santos Dumont, em Guarulhos, na região leste da Grande São Paulo.

Robert Fernandes da Silva, de 18 anos, Rony Pereira Barros, de 17, e Joilson de Oliveira, de idade ainda não informada pela polícia, foram baleados quando caminhavam pela Rua Madre de Deus de Minas. Robert e o adolescente morreram no local. Joilson foi encaminhado para o Hospital Geral de Guarulhos (HGG), onde, segundo a Polícia Civil, até as 5 horas permanecia internado em estado grave após passar por cirurgia.  No local do crime, a perícia encontrou pelo menos cinco cápsulas de pistolas, sendo uma de calibre 380 e quatro de 9mm.

Policiais militares, ao registrarem a ocorrência no 7º Distrito Policial, do bairro São João, segundo a Polícia Civil, não relataram ao delegado como os atiradores chegaram se a pé ou em algum veículo. Já o pai de Robert ouviu de uma suposta testemunha, que não comparecerem na delegacia, que os assassinos ocupavam pelo menos uma moto. Quando adolescente, segundo a polícia, Robert chegou a ser encaminhado várias vezes para a delegacia por ato infracional.

Capão Redondo

O segurança Magno Roberto de Souza foi ferido a tiros, por volta das 21h30 de sábado, 17, na região do Capão Redondo, zona sul de São Paulo, possivelmente ao ser confundido com um policial militar, de quem pegou emprestado um Celta preto e no qual voltava para casa. Além disso, segundo a polícia, Souza fazia bico no mercado Faixa Azul, na mesma região.

O ataque ocorreu na altura do número 1.900 da Rua Póvoa de Varzim, no Jardim Macedônia. Segundo testemunhas, dois homens numa moto aproximaram-se do Celta, com placas de Embu das Artes, e, sem dizer nada, atiraram pelo menos 10 vezes contra o veículo, atingindo a vítima.

De acordo com informações de policiais militares da 3ª Companhia do 37º Batalhão da PM, Magno foi encaminhado em estado grave para o Hospital Geral de Pirajuçara, onde, segundo a Polícia Civil, até as 6 horas permanecia internado. O caso foi registrado no 47º Distrito Policial, do Capão Redondo.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.