Dosimetria relativa

Rumo a Tóquio

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2012 | 02h05

Nem tudo está perdido para a torcida do Palmeiras: um fiasco do Corinthians no Mundial de Clubes pode salvar o ano da galera!

Na mira

A quantas anda em Ramallah a exumação de Yasser Arafat? Antes que se esclareçam as circunstâncias da morte do líder palestino, seu corpo corre agora o risco de ir pelos ares em bombardeios à Cisjordânia!

Muro da Daslu

A nova classe média brasileira não chegou ao mercado a tempo de frequentar a Daslu, mas já pode comprar na região da 25 de Março pequenos destroços da demolição do mais famoso império do luxo no País. Os camelôs anunciam o produto como "lembrança do muro de Berlim do consumo paulistano".

Não tem erro

O cantor e compositor Belchior teve bons motivos para sumir de novo, desta vez no Uruguai: só assim ele aparece no Fantástico!

A grosso modo...

Justiça seja feita ao advogado do goleiro Bruno, os defensores de Macarrão e do Bola são muito mais falastrões. Repara só!

Mal comparando

O brasileiro reclama de barriga cheia! Dilma Rousseff desembarca hoje em Brasília horrorizada com o mundo lá fora!

Tudo a ver

Os ministros Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski ainda não confirmaram participação na campanha Conte até 10, de prevenção à violência decorrente de desentendimentos banais.

Com um "julgamento-mais-aguardado-dos-últimos-anos" atrás do outro no noticiário nacional, o brasileiro já se considera entendido no assunto para condenar sem demora um tipo de culpado genérico muito em voga nos tribunais do País.

Esta semana mesmo, antecipando-se ao veredicto do júri popular inaugurado ontem no Fórum de Contagem (MG), o povo começou de véspera a calcular nos pontos de ônibus de todo o Brasil a dosimetria do goleiro Bruno.

Desde a divulgação da sentença de José Dirceu - ou seja, há quase 10 dias -, não aparecia alguém tão sem defesa no banco dos réus da esquina.

A tese de que sem corpo não há crime é, mal comparando, tão convincente quanto a negação do mensalão por falta de impressões digitais.

Uma coisa não tem nada a ver diretamente com a outra, mas, depois que o ex-ministro pegou 10 anos e 10 meses de cadeia, que pena será mais justa para o goleiro?

Periga a situação dele se agravar agora que o Ministério Público Federal pediu 80 anos de prisão para outro célebre culpado da atualidade, o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Se bem que toda regra tem exceção, taí o Maluf rindo à toa que não me deixa mentir.

Boato infame

Djavan confirmou presença na posse de Joaquim Barbosa na presidência do STF, mas, ao contrário do que andam dizendo nas redes sociais, o artista não vai cantar "o amor é azulzinho" no encerramento da cerimônia. E não se fala mais nisso, ok?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.