Rafael Arbex/ Estadão
Rafael Arbex/ Estadão

Doria quer usar 'motolâncias' para atender vítimas de acidente nas Marginais 

Veículos serão utilizados pelo SAMU a partir do dia 1° de novembro

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2017 | 12h21

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), vai utilizar motocicletas, chamadas pela gestão de "motolâncias", para prestar os primeiros socorros a vítimas de acidente de trânsito nas Marginais do Pinheiros e do Tietê. 

Duas motocicletas foram doadas pela iniciativa privada à Prefeitura nesta quarta-feira, 25, dando início ao programa que foi batizado de "Moto Socorro".

+++ Morador dos Jardins vive 24 anos a mais do que o do Jardim Ângela, diz pesquisa

Os veículos serão utilizados pelo SAMU a partir do dia 1° de novembro. Entre os turnos de utilização das "motolâncias", quatro pessoas do SAMU farão os atendimentos.

+++ Parque e Museu do Campo de Marte devem abrir em dois anos, diz Doria

A proposta tem inspiração em modelo que Doria, antes de ser prefeito, conheceu em Singapura. Segundo o prefeito, com adesão de outras empresas na doação de motocicletas, o programa poderá ser expandido para outras vias da cidade. 

Com as "motolâncias", o objetivo da administração é agilizar o primeiro atendimento à vítima de acidente nas Marginais. Desde o início do ano, operam nas vias expressas 14 ambulâncias do SAMU - duas delas ficam paradas em cada uma das Marginais.

O secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, diz que o SAMU tem conseguido chegar em oito minutos às ocorrências nas Marginais. A Prefeitura, no entano, ainda não tem estimativa de redução no tempo do primeiro atendimento com as motocicletas. O coordenador do SAMU, Marcelo Takano, diz que a expectativa é  "reduzir significativamente". 

Mais conteúdo sobre:
Samu São Paulo [cidade SP] Socorro Lira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.