Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Doria evita comparação com Trump: 'agradeço, mas declino'

No domingo, o jornal norte-americano The Washington Post relacionou a vitória de Trump nas eleições presidenciais americanas com a eleição do tucano em SP

Daniel Weterman, O Estado de S. Paulo

16 de novembro de 2016 | 15h41

SÃO PAULO - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), evitou a comparação de sua figura com a do bilionário Donald Trump, eleito presidente dos Estados Unidos.

No domingo, 13, o jornal norte-americano The Washington Post relacionou a vitória de Trump nas eleições presidenciais americanas com a eleição de Doria em São Paulo, afirmando que os resultados podem ser apenas o início de uma "onda populista global".

Perguntado sobre o teor da reportagem, Doria negou ser comparado ao norte-americano. "Agradeço (a relação), mas declino", afirmou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 16, após se reunir com o atual prefeito Fernando Haddad (PT) na sede do Executivo municipal.

Em viagem aos Estados Unidos no dia em que Trump foi eleito, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), padrinho político de Doria, disse que a comparação entre o prefeito eleito e o presidente eleito dos Estados Unido era equivocada.

A reportagem de domingo foi a segunda em que The Washington Post comparou Doria a Trump. No dia 4 de outubro, dois dias após as eleições brasileiras, o jornal classificou o prefeito eleito de São Paulo como o "Donald Trump brasileiro", pelo fato de os dois terem apresentado o reality show "O Aprendiz", cada um seu país, serem empresários e novatos na política. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.