FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Doria diz que vai 'flexibilizar' Lei Cidade Limpa

Segundo prefeito, mudanças na legislação serão feitas para viabilizar instalação de banheiros públicos e quiosques de flores

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

10 Março 2017 | 15h39

O prefeito João Doria (PSDB) afirmou na manhã desta sexta-feira, 10, que vai 'flexibilizar' a Lei Cidade Limpa para viabilizar a instalação de banheiros públicos e de quiosques de flores na cidade. De acordo com o tucano, a exploração da publicidade nestes novos modelos de mobiliário urbano é que vai atrair investidores para o projeto. Hoje, no entanto, só são permitidos anúncios externos em relógios de rua e pontos de ônibus, que foram submetidos a um processo de concessão pública.

"Não venha me dizer que a lei é imexível, é imutável. Vou flexibilizar a Lei Cidade Limpa. É dever do Estado, seja do Legislativo seja do Executivo, agir pensando na população", disse em evento realizado pela AME Jardins, associação de moradores que ajudou a criar há dez anos. Segundo Doria, essa flexibilização será específica para atender aos banheiros e quiosques de flores, não para bancas de jornal, por exemplo - um projeto de lei parado na Câmara prevê também essa possibilidade, mas Doria se disse contrário. 

"Já conversamos com os vereadores e sinto que haverá aprovação por parte da Câmara porque é um serviço que beneficia os cidadãos, sobretudo os mais humilde e os mais pobres, de maneira clara e objetiva, como é a questão sanitária, oferecer banheiros públicos e de qualidade."

A gestão Doria planeja instalar 800 banheiros públicos fixos - 200 por ano - e outros 50 modelos móveis, para serem usados em feiras livres da cidade. Nesta sexta, o tucano apresentou um protótipo do modelo móvel em feira realizada no Estádio do Pacaembu que funciona em uma carreta. Também já foram apresentados protótipos do banheiro fixo e do quiosque de flores. 

O projeto de lei mencionado pelo prefeito também vai prever que a exploração da publicidade ocorra mediante uma concessão pública. Quem vencer a licitação a ser lançada pela Prefeitura terá o direito de vender anúncios nas laterais dos equipamentos por um período determinado mediante a instalação dos mesmos.

Além da Cidade Limpa, Doria já afirmou que vai mexer também nas duas principais leis aprovadas durante a gestão Fernando Haddad (PT): o Plano Diretor e o Zoneamento. Neste caso, segundo o tucano, a intenção é incentivar a indústria imobiliária e gerar empregos. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.