DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

Doria diz que não pretende rever limite de velocidade de marginais

Em viagem a Nova York, prefeito afirma que aumento das mortes no trânsito de São Paulo está relacionado com imprudência de alguns condutores

Ricardo Leopoldo, O Estado de S.Paulo

14 Maio 2017 | 19h59

NOVA YORK - Em viagem aos Estados Unidos, o prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou que não pretende rever as condições relativas ao limite de velocidade das pistas das marginais na capital. "Eu não tenho compromisso com o erro. Mas até aqui todos os acidentes, infelizmente as vítimas que faleceram, nenhuma foi fruto de acidente por excesso de velocidade", disse. Segundo ele, os motociclistas foram 86% das vítimas fatais de acidentes, mas não especificou o período estudado.

"Nós adotamos uma medida recente: restringimos das 22 horas às 5 horas a utilização da pista central com o objetivo de redução do potencial de acidentes com motociclistas. Fazemos campanha educativa orientando motociclistas e motoristas para terem atenção e não cometerem imprudência", disse.

"O excesso de imprudência infelizmente tem levado vítimas e mais vítimas a morte. E 86% destes acidentes foram provocados por motociclistas que atuaram ou dirigiram de forma temerária e imprudente", destacou João Doria. "Temos que fazer um esforço para diminuir esta imprudência e alertar estas pessoas para terem muita atenção na marginal. Não houve nenhum fator vinculado ao aumento da velocidade. Há uma circunstância, mas nenhum fator."

Contudo, o prefeito apontou que tudo o que for necessário para ser reavaliado para melhorar a vida da cidade e dos cidadãos será adotado. "Não pode haver teimosia, mas boa gestão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.