Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Prefeitura diz que vai acatar nome de Marisa Letícia em viaduto, mas considera homenagem 'injusta'

Em nota, prefeito comunicou cancelamento de evento de inauguração da via, que será aberta ao trânsito no dia 3, sem cerimônia

O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2018 | 16h55

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), cancelou o evento de inauguração do viaduto que será batizado com o nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia, na zona sul da capital paulista. A Prefeitura ainda classificou a homenagem à mulher do ex-presidente Lula como injusta".

O projeto que dá ao viaduto do M’Boi Mirim o nome de Dona Marisa Letícia foi sancionado na última sexta-feira, 29, pelo prefeito em exercício de São Paulo, Milton Leite (DEM), depois de ter sido aprovado pela Câmara de Vereadores. A previsão era que a obra fosse inaugurada na próxima quarta-feira, 3.

Em nota, a prefeitura afirma que, "por determinação do prefeito João Doria", cancelou o evento de inauguração do viaduto, mas que a via será aberta ao trânsito no dia previsto.

A nota afirma ainda que "a escolha do nome do viaduto é prerrogativa da Câmara Municipal e fruto de um acordo entre a maioria dos vereadores — e apenas por isso respeitado pela administração municipal, apesar da discordância do prefeito em relação à injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício."

O prefeito João Doria (PSDB) e o vice-prefeito Bruno Covas (PSDB) estão em viagem.

A ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva morreu no dia 3 de fevereiro do ano passado, devido a complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). No mesmo mês o PL 81/2017, de autoria do vereador Reis (PT), foi proposto pela bancada do PT e contou com o apoio de Arselino Tatto, Eduardo Suplicy, Antonio Donato, Senival Moura, Alfredinho, Juliana Cardoso, Alessandro Guedes e Jair Tatto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.