GABRIELA BILO/ ESTADAO
GABRIELA BILO/ ESTADAO

Doria anuncia 25 motos para manutenção e conserto de semáforos

Segundo o prefeito, veículos atuarão em casos mais simples, que não necessitam de grande estrutura técnica,  como quedas de funcionamento após picos de energia

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2017 | 17h01

O prefeito João Doria anunciou nesta sexta-feira, 20, o uso de 25 motocicletas para fazer a manutenção e o conserto de semáforos em São Paulo. Trata-se de uma nova etapa do programa "Mutirão do Semáforo", que vai começar a operar a partir de segunda-feira, 23. Os veículos serão  operadas por agentes e um eletricista.

Segundo o presidente da CET, João Octaviano Machado Neto, o envio de agentes em motocicleta reduzirá em até 40% o tempo de deslocamento até o local - que hoje ele estima ser de cerca de duas horas, em média. "Hoje nós não temos uma situação que nos preocupe do ponto de vista de manutenção", declarou.

Para Doria, a nova estrutura é "suficiente" para ter uma "manutenção adequada dos semáforos da cidade". As motocicletas serão notificadas a partir do monitoramento feito pela própria CET e por queixas registradas no telefone 1188 e pelo aplicativoto Waze, que mantém uma parceria com a Prefeitura. Elas atuarão nos "casos mais simples", que não necessitam de grande estrutura técnica,  como quedas de funcionamento após picos de energia.

PPP

"Agora, a solução definitiva virá com a nova tecnologia semafórica através da PPP", completou Doria, se referindo à licitação da Parceria Público-Privada (PPP) dos Semáforos, que deverá ser publicada até abril de 2018. 

Segundo o secretário de Transporte e Mobilidade Sérgio Avelleda a PPP vai "modernizar" o atual sistema semafórico,  permitindo que ele seja integralmente controlado à distância - o que hoje ocorre com 20%.

"Mas nós queremos ir além do controle remoto. Nas áreas mais importantes nós queremos ter inteligência na leitura local do próprio fluxo, para que esse semáforo adapte o seu ciclo semafórico", diz Avelleda. 

O secretário afirmou ainda que uma das contrapartidas para as empresas poderá ser a cessão do uso de rede para uso de fibra ótica e instalação de Internet wi-fi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.