Rafael Arbex / ESTADAO
Rafael Arbex / ESTADAO

Donos correm para tentar fechar negócio com incorporadoras

Após ação da Prefeitura, prédio no centro com 70 apartamentos passou por reforma; proprietário está vendendo unidades

Pablo Pereira, O Estado de S. Paulo

22 Março 2016 | 03h00

SÃO PAULO - Na última quinta-feira, o vendedor de um terreno vazio da Rua da Mooca, notificado pela Prefeitura em setembro, disse que conhece a nova lei, mas espera fazer negócio direto com alguma incorporadora ou construtora de imóveis de alto padrão. “A região tem imóveis de alto padrão bem ao lado do terreno”, argumentou. O terreno, com frente para duas ruas, segundo o vendedor, é ponto valorizado e deve seguir a tendência dos imóveis na área, ou seja, habitação de padrão elevado. 

No centro, outro imóvel que foi notificado por “descumprimento da função social da propriedade” tem cerca de 70 apartamentos. Depois da ação da Prefeitura, no ano passado, o prédio foi reformado e está em processo de venda das unidades. Ainda na quinta-feira, o síndico do prédio, David Leite Rosa, disse que o edifício foi comprado pela incorporadora HM Engenharia e reformado no Retrofit (Lei do Retrofit), que também é de Police Neto.

Com unidades que variam de 27 metros quadrados a 102 metros quadrados, o imóvel está sendo devolvido ao mercado com apartamentos de cerca de 40 metros quadrados, avaliados em cerca de R$ 250 mil, pela imobiliária Home Invest. A lista da Prefeitura tem imóveis com até 200 apartamentos, como o prédio da Rua Rego Freitas, esquina com Consolação, na lista dos notificados desde junho de 2015, e outro na Avenida Ipiranga, com cerca de 60 apartamentos.

Lista. Na Mooca, onde há galpões e prédios abandonados em diversas áreas, só em uma rua, a Borges de Figueiredo, 13 imóveis estão na lista para eventual construção de habitação social. São terrenos com notificação desde dezembro. Os imóveis estão do lado par da via, a partir do número 1.098, cuja fachada tem a placa de “aluga-se”.

De acordo com o advogado Aldo Bonametti, representante do dono do imóvel 1.098, os proprietários compraram recentemente a área e não têm interesse na Lei do Consórcio. “Já respondemos à Prefeitura, o imóvel está regularizado e disponível para locação”, afirmou o administrador na sexta-feira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.