Dono da loja que explodiu no ABC se apresenta à polícia

Loja de fogos de artifício explodiu em Santo André e provocou a morte de duas pessoas na quinta-feira

Renato Machado, O Estado de S. Paulo,

28 de setembro de 2009 | 10h38

Sandro Castellani, dono da loja que explodiu em Santo André na quinta-feira, 24, se apresentou à polícia na manhã desta segunda-feira, 28, segundo a Polícia Civil. Ele chegou ao 3º Distrito Policial de Santo André por volta das 10h20 acompanhado da mulher, Conceição Fernandes, e do advogado do casal. O depoimento do casal à polícia começou pouco antes do meio-dia. Após o depoimento, por volta das 15 horas, o casal deve dar uma coletiva de imprensa para esclarecer o que aconteceu na explosão que provocou a morte de duas pessoas.

 

Veja também:

link No Orkut, fotos de fogos armazenados na loja que explodiu

mais imagens Galeria com fotos do acidente

mais imagens Foto mostra antes e depois da explosão

especialExplosão e tragédia - acidentes na última década

som Moradora de Santo André fala da explosão em loja

video Vídeo - Repórter fala da explosão em Santo André

especialTem relatos, fotos ou vídeos da tragédia? Mande para o Estadão no twitter

 

O casal será indiciado por crime de explosão e por todas as consequências decorrentes da tragédia, como danos materiais, lesão corporal e dois homicídios. Eles não são considerados foragidos da Justiça, já uqe não têm mandados de prisão. Após a apresentação à polícia, eles devem ser ouvidos. Há duas hipóteses, eles podem ser liberados ou autuados em flagrante, "se houver indícios de que provocaram a explosão", de acordo com o delegado titular do 3ºDP de Santo André, Alberto José Mesquita Alves.

 

  

Explosão de loja de fogos destruiu pelo menos quatro casas em Santo André. Foto: Nilton Fukuda/AE

 

A apresentação do casal é esperada desde o domingo, quando Luciano Fernandes, sobrinho do dono da loja disse que seu tio iria se apresentar nesta segunda à polícia.

 

A mãe do dono da loja, Sônia Maria Castellani de 63 anos, ficou ferida na explosão. Ela teve alta na sexta-feira, 25. Ela foi internada com sintomas de arritmia cardíaca e com queimadura superficial no globo ocular direito, está com quadro estável e já teve alta.

 

A loja de fogos de artifício explodiu e provocou a morte de duas pessoas. A explosão aconteceu às 12h32, e provocou um tremor que pôde ser sentido num raio de 1,5 km. Cem pessoas ficaram desalojadas. Os bombeiros encerraram a procura por vítimas às 20h30. Quatro residências foram destruídas e outras 30 tiveram vidros quebrados, portas arrancadas e rachaduras. Caso os imóveis vistoriados não apresentem riscos de desabamento, eles serão liberados para os moradores.

 

Texto ampliado às 12h42 para acréscimo de informações.

 

(Com informações de Solange Spigliatti, da Central de Notícias)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.