Donato sai candidato à Presidência da Câmara de SP em 2015

Donato sai candidato à Presidência da Câmara de SP em 2015

Ex-secretário de governo do prefeito Fernando Haddad deve ser o nome do partido para liderar o legislativo paulistano no ano que vem

Bruno Ribeiro e Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

02 Dezembro 2014 | 14h37

Atualizada às 22h08

SÃO PAULO - Ex-secretário de Governo da gestão Fernando Haddad (PT), o vereador petista Antonio Donato se lançou nesta terça-feira, 2, como candidato à Presidência da Câmara Municipal. O PT deve decidir nesta quarta se ele será o candidato do partido. Um acordo entre os partidos deve dar aos petistas, que têm a maior bancada da Casa, o controle da Mesa Diretora.

A indicação de Donato ocorre cerca de um ano depois de ele voltar à Câmara e é tida como certa. Os demais candidatos, Paulo Fiorillo e Arselino Tatto, devem retirar-se da disputa. Donato tem o apoio do Diretório Nacional do PT. 

Sua saída da Prefeitura ocorreu depois de ele ser relacionado à Máfia do Imposto sobre Serviços (ISS). Donato foi investigado por suposto recebimento de propina dos fiscais corruptos da Prefeitura mas, sem provas, não chegou a ser indiciado. Ele continua a ser ficha limpa e vinha mantendo uma atuação discreta no Legislativo.

A nomeação é descrita pelos colegas de partido como uma “recompensa” ao vereador, que teve atuação pesada na campanha para eleição do atual presidente da Casa, José Américo (PT), durante a disputa para o Congresso. A dívida do partido com ele, entretanto, vinha desde a chegada à cidade do prefeito Fernando Haddad.

Foi Donato quem costurou a aliança do prefeito, até então um desconhecido na política municipal, com a bancada petista. No começo do mês, Donato chegou a negar que tinha intenções de assumir a Presidência da Câmara. Se eleito, ele será responsável por administrar um orçamento previsto para 2015 de R$ 600 milhões, e R$ 40 milhões dessa receita devem ser gastos com as ações de comunicação.

Durante a entrevista desta terça para a TV Estadão, o prefeito Haddad não comentou a candidatura. Disse que a bancada, de 11 pessoas, tinha “11 bons nomes” para assumir a Presidência. Procurado, Donato não quis comentar o assunto.

Manifesto. Os vereadores tucanos Coronel Telhada, Mário Covas Neto e Patrícia Bezerra, além de Gilberto Natalini (PV), Marco Aurélio Cunha (PSD) e Ricardo Young (PPS), divulgaram um manifesto nesta terça em que criticam a ineficiência da Câmara neste ano e reivindicam nove medidas para restaurar a credibilidade da Casa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.