Dona de asilo nega que tenha abandonado idosa em estrada

Ela disse à polícia de Piratininga, no interior de SP, que sobrinha levou tia embora de carro. Dívida com asilo é de quase R$ 5 mil

Sandro Villar , Especial para o Estado

21 de junho de 2014 | 13h17

PRESIDENTE PRUDENTE - A enfermeira Solange de Oliveira, dona do asilo Sol e Lua, em Bauru, acusada de ter abandonado uma idosa em estrada de Piratininga, negou participação em depoimento na delegacia da cidade.

Na terça-feira, 17, a idosa Isaura Ribeiro de Moraes, de 80 anos, foi encontrada em uma estrada vicinal da cidade. Em depoimento nesta sexta-feira, 20, Solange de Oliveira disse que as mensalidades da internação de Isaura estão atrasadas, com dívida de quase R$ 5 mil, e que, no dia anterior, havia entregue a aposentada aos cuidados da sobrinha Wilma Juliete de Moraes.

A tia teria sido colocada no carro da sobrinha. Segundo a polícia, Solange, que é técnica de enfermagem, contou que Wilma prometeu procurar outro local para abrigar a idosa, que desde 2012 vivia no asilo Sol e Lua, em Bauru. 

O pagamento está atrasado desde agosto de 2013, motivo que levou a dona do asilo a procurar a sobrinha para negociar a dívida.

A Polícia Civil ainda tem muitas dúvidas e quer saber quem, de fato, deixou dona Isaura abandonada na estrada. Uma acareação entre a proprietária do asilo e a sobrinha não está descartada.

O caso já está na Justiça. "A dona Isaura vai ficar aqui até a Justiça decidir para onde ela irá", afirmou Natália Amado de Oliveira Fontes, assistente social do Asilo Vila Vicentina, em Piratininga. A idosa foi levada para o asilo após ser encontrada caída numa estrada vicinal. Ela não anda e tem dificuldade para falar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.