Dois tipos de caminhões podem ficar fora de restrições em SP

Segundo prefeitura, betoneiras e caminhão de mudança não podem circular à noite, por isso a excessão

Carolina Freitas, de O Estado de S.Paulo,

04 de abril de 2008 | 18h14

Caminhões betoneira e de mudança podem ser excluídos da proibição de circulação entre as 5 e 21 horas na região central de São Paulo e do rodízio de veículos de carga nas marginais do Pinheiros e do Tietê e na Avenida dos Bandeirantes. As medidas foram anunciadas na última terça-feira, pela Prefeitura. O decreto para oficializar as alterações, ainda sem data de publicação, vai criar também uma comissão consultiva para sugerir exceções à lei, disse em entrevista coletiva nesta sexta-feira, 04, o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Veja também:Veja o mapa com as restrições O tráfego agora   As rotas alterantivas para fugir do congestionamentoAs obras e propostas de estacionamento da Prefeitura e opine  Kassab promete diálogo sobre restrições a caminhões em SP "Faço questão de ser o primeiro a encaminhar à comissão um pedido, pela liberação de betoneiras, usadas para transportar concreto, e caminhões de mudança", disse Kassab. O prefeito justificou a menção aos caminhões betoneira. "Não podemos parar a construção civil, pois ela gera empregos."  O secretário dos Transportes, Alexandre de Moraes, lembrou que a circulação desse tipo de veículo de madrugada é incompatível com a Lei do Silêncio, que fixa limites para o barulho em cada zona da cidade. Para Moraes, no caso dos caminhões de mudanças, a exceção é auto-explicativa, "fazer uma mudança residencial à noite é impossível". Exceções A comissão terá caráter consultivo, não deliberativo. Mas "as decisões da comissão nortearão a ação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Secretaria de Transportes e do prefeito", assegurou Kassab. "A tendência é sempre aprovar as deliberações da comissão", reiterou o secretário. Nos próximos dias, Kassab e Moraes discutirão a composição do grupo, que deve incluir representantes do comércio e dos transportes. A princípio, a proibição vale para todos os veículos de carga. "As regras precisam ter exceções, mas elas serão aprovadas com muito rigor. Quando existirem, é porque são necessárias", explicou o prefeito. O trabalho da comissão começa assim que as medidas forem publicadas. As exceções serão propostas e avaliadas no período de 45 dias entre a oficialização do decreto e a entrada em vigor da lei. "As exceções passam a valer junto com as medidas", disse Moraes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.