Dois suspeitos de matar adolescente na Imigrantes são presos

Caso ainda não está esclarecido porque o motorista do veículo atingido não identificou um dos homens presos

Luiz Alexandre Souza Ventura, especial para, O Estado de S. Paulo

04 Junho 2016 | 12h55

SANTOS - Dois jovens de 19 anos, suspeitos de participar da tentativa de assalto que provocou a morte de um adolescente na Rodovia dos Imigrantes, em Cubatão, no litoral sul de São Paulo, foram presos nesta sexta-feira, 3, após uma operação realizada durante dois dias na Vila Esperança, às margens da estrada, pelo 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (2º Baep), com apoio do Deinter-6. No primeiro dia da ação policial, policiais militares trocaram tiros com traficantes, duas pessoas morreram, um criminoso ficou ferido, drogas e armas foram apreendidas.

Segundo a polícia, um dos presos, conhecido como 'Neguinho do Pó', teria jogado a pedra de 20 quilos que atravessou o parabrisa do Fiat Ideia e matou o adolescente Reinaldo Lima de Souza Júnior, de 17 anos. O suspeito de jogar a pedra teria confessado o crime, mas afirmado que a intenção era apenas parar o carro.

O caso ainda não está esclarecido porque o motorista do veículo atingido pela pedra que matou o adolescente não identificou ao menos um dos suspeitos presos. O advogado do motorista argumenta que seu cliente estava muito abalado com a situação e não foi possível fazer o reconhecimento.

A Justiça já emitiu os pedidos de prisão temporária dos dois suspeitos. Um menor de idade, também identificado, ainda não foi localizado. Novas diligências são feitas na região da Vila Esperança durante o fim de semana.

Planejamento. A morte do jovem Reinaldo provocou uma reavaliação no planejamento recém-implantado para tentar conter a criminalidade em todo o Sistema Anchieta-Imigrantes, admitiu o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, durante entrevista coletiva em Santos, dois dias após o crime.

Barbosa Filho rejeitou a teoria de que houve falha no esquema de segurança montado recentemente no local do crime. "Nós não tínhamos o mapeamento de ocorrências naquela localidade. O que vamos fazer é aperfeiçoar o projeto já existente", destacou o secretário.

Entre as medidas que a secretaria vai solicitar estão a instalação de câmeras exclusivas para monitoramento no começo e no fim dos muros, com inclusão do vídeo analítico para avaliar situações de risco, como pessoas invadindo a pista ou o agrupamento de indivíduos atrás do muro. Além disso, também será solicitada a melhoria na iluminação até a interligação com a Via Anchieta - um trecho de  aproximadamente 2 quilômetros. 

A Ecovias, que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, afirma que o pedido da secretaria deve ser feito à Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), que encaminha a solicitação à concessionária, determinando as medidas indicadas. Uma reunião entre Ecovias e Artesp, para tratar dos assuntos relacionados à segurança, está marcada para a próxima semana. Por enquanto, de acordo com a empresa, nenhum pedido formal de alterações no local do crime foi feito.

Reinaldo Lima de Souza Júnior morava no interior de SP e viajava com a família para passar o feriado de Corpus Christi no litoral. O adolescente dormia no banco do passageiro de um Fiat Ideia, que trafegava pela Rodovia dos Imigrantes, na altura do km 59, trecho de Cubatão, por volta de 22h do último dia 26 de maio, quando foi atingido por uma pedra, jogada contra o carro por assaltantes que estavam na lateral da pista. A pedra tem 40 centímetros de comprimento, 30 centímetros de largura, pesa aproximadamente 20 quilos e atravessou o parabrisa, atingindo em cheio a cabeça do jovem. 

O adolescente foi levado por homens da Polícia Rodoviária para o Pronto-Socorro de Cubatão, mas já chegou à unidade sem vida. Encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Santos, o corpo do adolescente foi reconhecido por familiares e transportado para Itapecerica da Serra, na Região Metropolitana de São Paulo, e sepultado no Cemitério Horto da Paz, que fica na altura do km 290 da Rodovia Régis Bittencourt.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.