Dois são presos por desviar doações de entidade de assistência a crianças com paralisia cerebral

Ex-funcionária de entidade roubou fichas de pessoas que contribuiam com valores entre R$ 20 e R$100

Marília Lopes, Central de Notícias

24 Março 2011 | 13h01

SÃO PAULO - A polícia de São Paulo investiga um esquema de captação fraudulenta de donativos para entidades assistenciais. O caso é investigado pela 3º Delegacia de Repressão a Roubos Especiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), que prendeu duas pessoas na manhã desta quinta-feira, 24.

 

Um dos suspeitos foi preso após cobrar donativos dos funcionários do Tribunal de Contas do Município (TCM), no Ibirapuera, na zona sul da Capital. A outra pessoa detida é uma dona de casa, que segundo as investigações seria a responsável pela escolha dos doadores. Ela foi presa em sua casa na zona norte.

 

Segundo o delegado Walter Ferrari, os suspeitos desviavam dinheiro doado para crianças com paralisia cerebral. A dona de casa, de 45 anos, já trabalhou na Casa de Apoio a Criança com Paralisia Cerebral, localizada no Horto Florestal, também na zona norte. Ela teria desviado fichas de colaboradores e passou a arrecadar as doações, entre R$ 20 e R$100, em benefício próprio.

 

O motoboy, responsável por recolher os donativos, foi preso nesta manhã. Ele informou à polícia o endereço da dona de casa. Com ela foram apreendidos recibos e listas de colaboradores da entidade assistencial. Os dois suspeitos devem ser indiciados por estelionato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.