Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Dois são presos acusados de vender joias roubadas da Tiffany

Comerciantes chinesa e brasileiro estavam com peças levadas de joalheria em maio de 2010

Solange Spigliatti, Central de Notícias

09 Fevereiro 2011 | 15h28

SÃO PAULO - Duas pessoas foram presas acusadas de serem responsáveis pela receptação e venda das joias roubadas da joalheria Tiffany & CO, em maio do ano passado, em São Paulo.

 

Veja também:

lista Leia mais sobre roubos a joalherias

 

Os dois acusados foram presos na última sexta-feira, 4, em Santos, no litoral sul do Estado, e na região central da capital. A polícia recuperou cerca de 30 peças, que foram encontradas com a comerciante chinesa Ceng Chumee, de 35 anos, e com o brasileiro Nelson José da Silva, de 51.

 

Após a polícia receber informações sobre o envolvimento de Silva, ele levou os policiais ao local onde as peças estavam escondidas, embaixo do botijão de gás, e indicou onde localizar outra pessoa que também possuía joias roubadas da Tiffany.

 

Cheng Chumee foi detida em sua loja na Rua 25 de Março. Ele revelou que as peças estavam em sua casa na Aclimação. Os produtos estavam em saco em cima da cômoda.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.