Dois são presos acusados de matar cachorros para vender carne

Abatedouro foi encontrado em Suzano, na Grande São Paulo; material era vendido para comunidade oriental

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

12 Novembro 2009 | 12h39

Duas pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira, 12, acusadas de manterem um abatedouro de cães em Suzano, na região metropolitana de São Paulo. Segundo o delegado Anderson Pires Giampaoli, os cães eram recolhidos das ruas e mantidos presos para engorda e depois mortos.

 

A carne era vendida para a comunidade oriental da região e restaurantes do Bom Retiro, na região central de São Paulo. O material era comprado por coreanos e levadas para estabelecimentos nas ruas Guarani, 204 e Silva Pinto, 423. O valor de cada animal variava entre R$ 180,00 a R$ 220,00, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública.

 

Policiais da 2.ª Delegacia de Saúde Pública localizaram o abatedouro, que funcionava na Avenida Miguel Badra, 3.059, no bairro Miguel Badra, há três anos. Roberto Moraes, de 46 anos, e Roseli Nascimento, de 39 anos, donos do local, foram presos. A polícia apreendeu um cachorro que seria abatido, duas mesas para abate, um freezer com carnes, ganchos e outros instrumentos.

Mais conteúdo sobre:
abatedouro caes Suzano policia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.