Dois morrem em supostos confrontos com a Rota nas zona leste e oeste de SP

Parentes de um dos mortos afirmam que o rapaz não devia nada e que os PMs erraram

estadão.com.br,

29 Novembro 2011 | 05h26

SÃO PAULO - Um suposto tiroteio entre ocupantes de um Corsa vermelho roubado e policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), às 23h15 de segunda-feira, 28, em frente a um conjunto habitacional, na altura do nº 130 da Rua Padre Virgílio Campelo, no Itaim Paulista, extremo leste da capital paulista, terminou com a morte de Caio Bruno Paiva, de 25 anos, que, segundo a PM, tinha passagens por roubo e tráfico.

 

Supostamente com o rapaz, que morreu quando era atendido no Hospital Geral do Itaim (antigo Santa Marcelina), foi apreendido um revólver calibre 38. Os demais ocupantes do carro, pelo menos três, segundo os PMs, e o veículo não foram localizados ainda. A versão da PM é de que Caio, ao lado de comparsas, teria roubado o veículo de duas mulheres. Uma delas é esposa de um policial militar, que teria sido acionado pela mulher, perseguiu o carro e pediu ajuda. Várias viaturas da Rota localizaram o Corsa e, em frente ao conjunto de prédios, teria ocorrido o tiroteio.

 

Já parentes afirmam que o rapaz não participou de roubo algum, estava conversando com um colega em frente ao condomínio, ao lado da esposa, grávida, e que os policiais teriam chegado já atirando contra Caio, que ainda tentou correr, mas foi atingido por mais tiros. O caso foi registrado no 50º Distrito Policial, do Itaim Paulista.

 

Água Branca.  Por volta das 3h30 desta madrugada de terça-feira, 28, um suspeito morreu e uma mulher foi presa após supostamente um deles reagir a uma abordagem de policiais na Água Branca, zona oeste da capital. A perseguição a um Citroën Xsara Picasso prata roubado ocorreu pelas avenidas Ermano Marchetti e Santa Marina e terminou na Rua Carijós, onde o suspeito que estava ao volante bateu o carro contra um muro e, segundo a PM, teria deixado o veículo atirando contra os policiais, que revidaram. O suposto criminoso morreu quando era atendido no pronto-socorro da Lapa. A mulher foi detida ilesa. O caso seria encaminhado para o plantão do 7º Distrito Policial, da Lapa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.