Dois morrem em queda de ultraleve no Rio

Duas pessoas morreram ontem de manhã na queda de um ultraleve na Praia da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio. O acidente aconteceu quando o projetista e instrutor de voo Heckel Capucci Bastos, de 61 anos, apresentava ao professor Paulo Roberto Lipreon, de 41 anos, um modelo de aeronave conhecido como trike - formado por um triciclo acoplado a um motor e uma asa semelhante a uma asa-delta.

Bruno Boghossian / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2010 | 00h00

Segundo testemunhas, o piloto perdeu o controle do ultraleve e caiu na areia, o que teria provocado uma explosão. O trike decolou por volta das 10 horas do Clube da Aeronáutica da Barra da Tijuca, bairro vizinho ao Recreio dos Bandeirantes.

Pouco antes, Heckel fizera outros dois voos de demonstração com um estudante e um comerciante que acompanhavam Paulo Roberto. De acordo com o coronel Pereira Sobrinho, diretor do hangar do clube, o trike não apresentara nenhum problema nos voos anteriores. As causas do acidente estão sendo investigadas.

Sul. No dia 3, duas pessoas morreram na queda de um ultraleve no Rio Grande do Sul. A aeronave foi localizada no Vale da Pedra Branca, em Três Forquilhas. O aparelho deixou a cidade de Canela com destino a Torres, onde participaria do 10.º Encontro Nacional de Ultraleves. A operação de buscas demorou dois dias e precisou vasculhar 4 mil km².

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.