Dois meses de transtornos

TELEFONES SÃO BLOQUEADOS PELA EMBRATEL

O Estado de S.Paulo

07 Abril 2012 | 03h03

Tenho duas linhas telefônicas da Embratel/Livre-Claro e sempre paguei as contas em dia. De repente, sem nenhuma explicação, o serviço foi cortado. Entrei em contato com a Embratel e fui orientado a enviar um fax com o comprovante de pagamento das contas. Enviei o documento, aguardei um contato, mas ninguém respondeu. No dia 17/2 encaminhei uma carta registrada para a empresa e pouco tempo depois me ligaram para informar que fora detectado um problema interno na linha, mas que em 5 dias reinstalariam o serviço. Aguardei, mas nada foi feito. O único serviço da Embratel que funciona é o envio das contas, que chegam em dia, mensalmente, sem nenhum problema. Estou pagando por um serviço que não estou usando e por um erro que não foi meu. Peço ajuda nesse caso, pois não sei mais a quem recorrer.

ERHARD F.A. DOTTI / SÃO PAULO

O Atendimento Claro Fixo informa que as linhas do sr. Dotti já estão em pleno funcionamento. Destaca que os canais de comunicação

continuam permanentemente disponíveis nas lojas, no site e na

Central de Atendimento.

O leitor confirma: Finalmente a empresa reinstalou as duas linhas. A Embratel só se manifestou quando enviei a reclamação para o jornal. Um funcionário me ligou pedindo desculpas pelos problemas causados pela empresa, porém alegou que o valor pago no período em que as linhas não funcionaram não será estornado. Passei 2 meses ligando para o SAC, mandando e-mail, fax com comprovantes de pagamentos, e não recebi a mínima atenção como consumidor.

TELEFÔNICA

Prejuízo não é ressarcido

Tenho uma empresa que está há 4 dias com os telefones mudos e há 10, sem internet. Cansei de ligar na Ouvidoria da Telefônica e receber a resposta de que devo aguardar mais 3 dias para a solução do problema. Minha empresa já acumulou prejuízo e não tenho como contratar o serviço de outra empresa, pois a Telefônica tem o monopólio da região.

IVETE ROSA / SÃO PAULO

A Telefônica esclarece que, após ajustes técnicos, a linha está funcionando normalmente. A cliente, sra. Ivete, será ressarcida, em conta telefônica com vencimento em 9/4, do valor correspondente à fração da tarifa de assinatura, proporcionalmente ao período em que o serviço apresentou problema.

A leitora reclama: O desconto oferecido, em vista dos prejuízos causados por duas semanas sem telefone ou internet, é vergonhoso! Tive até de adquirir modems de outra operadora para ter acesso à internet.

LEI DO PSIU

Fiscalização ineficaz

Uma distribuidora da Danone se instalou próximo à minha casa, na Rua Custódio Serrão, e desde então não tenho sossego. O serviço de carga e descarga é feito entre meia noite e 6 horas. Os motoristas que manobram os caminhões têm o cuidado de frear bruscamente, acelerar acima do necessário, além de estacionar em frente das garagens. Eles conversam em tom muito alto, o que impede qualquer ser, com audição normal, de desfrutar do necessário repouso. Afinal, trabalhar no dia seguinte é necessário, tenha-se ou não dormido. Muitos estão sendo prejudicados! Não acredito que a empresa tenha obtido licença de funcionamento, pela precariedade das instalações.

JOÃO ALBERTO SOLLITARI

/ SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, por intermédio do Psiu, informa que não havia reclamações de barulho para o endereço citado. Será enviada uma equipe ao local e a Subprefeitura Lapa realizará vistoria para checar se a documentação está regular.

A Danone esclarece que notificou seu distribuidor autorizado, referente aos processos de carga e descarga.

O leitor discorda: A alegação do Psiu não procede, pois registrei queixa no site. Nesta semana fomos acordados à 1h30 e o barulho permaneceu até as 6h30. Os proprietários da empresa disseram que o serviço só pode ser feito à noite.

Na Rua Alencar Araripe, Sacomã, há um estabelecimento que toca música ao vivo todas as noites. Reclamei várias vezes no 156 e 190 e de nada adiantou!

RITA I. ISHIYAMA / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, por intermédio do Psiu, informa que fará vistoria no local. O estabelecimento citado foi autuado e multado pela Subprefeitura Ipiranga, por causa de mesas e cadeiras na calçada.

O leitor comenta: A situação permanece a mesma. Será que, se alguém do Psiu morasse na minha rua, esse estabelecimento ainda estaria funcionando?

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.