Dois jovens morrem em dois ataques na Jacu-Pêssego, na zona leste

Ao todo, seis pessoas foram baleadas - duas estão internadas em estado grave; polícia investiga se há relação entre os crimes

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

08 Dezembro 2014 | 09h11

Atualizado às 12h45

SÃO PAULO - Dois jovens foram mortos a tiros e outros quatro ficaram feridos em dois ataques seguidos na Avenida Jacu-Pêssego, na região da Vila Jacuí, na zona leste da capital paulista, na madrugada desta segunda-feira, 8. 

O primeiro ataque aconteceu por volta de 0h45, na altura da Avenida Doutor Custódio de Lima. Segundo testemunhas, criminosos passaram atirando de dentro de uma carro, um Chevrolet Corsa, de cor bege, contra dois rapazes que estavam em uma motocicleta. 

Alvejado, Gabriel Bezerra da Silva, de 16 anos, que, segundo testemunhas, estava na garupa da moto, não resistiu aos ferimentos. Ele teve a morte constatada por policiais militares ainda no local.

O condutor da motocicleta, um jovem de 21 anos, foi baleado na perna e precisou ser levado para o Hospital Ermelino Matarazzo. Ele foi socorrido por familiares,  segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). No hospital, a vítima teria contado aos policiais que dois criminosos haviam disparado do veículo na direção deles.

Em seguida, por volta de 1h15, a Polícia Militar recebeu outro chamado para um caso semelhante na mesma região. Criminosos dentro de um carro, modelo Honda City, de cor prata, também atiraram contra um grupo formado por três jovens, que estavam a caminho de um baile funk, na Avenida Maria Santana, na esquina com a Jacu-Pêssego.

Uma das vítimas chegou a ser socorrida ao Hospital Santa Marcelina, também na zona leste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.  O rapaz estava sem os documentos e ainda não teve o nome e a idade identificados pela Polícia Civil. Até o registro do boletim de ocorrência, nenhum familiar compareceu na delegacia.

Os outros dois rapazes também ficaram feridos e foram socorridos para os Hospitais Santa Marcelina, do Itaim, e Tide Setúbal. Quando os policiais militares foram registrar a ocorrência no 63° Distrito Policial (Vila Jacuí), responsável pelos casos, descobriram que um quarto rapaz havia sido atacado, socorrido no Hospital Planalto e, depois, liberado.

Até o momento, a autoria dos disparos é desconhecida e ninguém foi preso. Como os casos são parecidos e aconteceram na mesma região, os policiais do 63° DP, assessorados pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), investigam se há relação entre os dois ataques. Os policiais também vão procurar câmeras de segurança que possam ter gravado a ação dos criminosos.

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.