Dois empresários de São José são presos com cocaína na Dutra

PF apreendeu 32 tabletes da droga, que estava escondida em tanques de combustível e era transportada de Cuiabá para Macaé 

Tiago Rogero, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2014 | 09h01

RIO - Dois empresários de São José dos Campos, no interior de São Paulo, foram presos na noite desta segunda-feira, 10, por policiais federais na Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, com 32 tabletes de cocaína. Segundo a Polícia Federal, a droga vinha de Cuiabá, em Mato Grosso, e estava sendo transportada para Macaé, no Norte Fluminense. Os tabletes estavam escondidos nos tanques de combustível de dois veículos.

A prisão partiu de uma denúncia anônima que chegou à delegacia da Polícia Federal em Macaé. Os agentes fizeram então uma barreira no posto da Polícia Rodoviária Federal em Piraí, no Sul Fluminense, e apreenderam o primeiro veículo, com 16 tabletes de cocaína escondidos no tanque. O motorista, segundo a PF, um empresário de 25 anos, disse que transportava a droga por estar em "dificuldades financeiras".

O segundo veículo, apreendido em seguida, era conduzido por outro empresário, de 35 anos, também de São José dos Campos. Os 16 tabletes restantes também foram encontrados no tanque. Ambos foram autuados em flagrante e serão indiciados por tráfico de drogas, com penas que variam de 5 a 15 anos de prisão.

Transferência. Na madrugada desta terça-feira, 11, a Polícia Federal informou que o traficante carioca preso em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, já foi transferido para o Presídio Ary Franco, em Água Santa, na zona norte do Rio.

Hualtter Sodré é suspeito de envolvimento na tortura de Rayssa Sarpi, de 18 anos, que morreu em 20 de setembro na Favela do Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, também na zona norte da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.